AUTOIMAGEM GENITAL DE IDOSAS COM E SEM A REALIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS NA GENITÁLIA

  • Fernanda Turchetto
  • Deise Iop Tavares
  • Amanda dos Santos Candido
  • Hedioneia Maria Foletto Pivetta
Rótulo Sexualidade, Envelhecimento, Autoimagem, Genitália

Resumo

A autoimagem genital se relaciona com o fato de como a mulher percebe e conhece seu órgão genital. Devido ao envelhecimento, surgem alterações corporais, tanto físicas quanto fisiológicas, inclusive na genitália. No caso das mulheres, ocorre o estreitamento da parede vaginal, os tecidos perdem elasticidade, diminuição e branqueamento dos pelos pubianos e redução da excitação sexual, fatores que interferem diretamente na sexualidade das idosas e percepção corporal. Dessa forma, com a baixa da autoestima, pode-se levar a uma disfunção sexual nesta fase da vida, diminuindo o interesse e a frequência das relações sexuais, levando também a uma redução da realização de exames ginecológicos, interferindo diretamente na saúde feminina. Em vista disso, o presente estudo tem como objetivo investigar a autoimagem genital de idosas com e sem a realização de procedimentos estéticos na genitália. A pesquisa foi de cunho quantitativo, explicativo e retrospectivo, com mulheres de 60 anos ou mais, sexualmente ativas, de uma cidade no interior do Rio Grande do Sul e que participam de grupos de atividades físicas. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria sob o número do parecer 2.472.098 (CAAE: 80587517.0.0000.5346). Foram excluídas as idosas que apresentaram alguma alteração cognitiva e que relataram alguma patologia genital. Utilizou-se uma ficha sóciodemográfica adaptada para a observação dos procedimentos estéticos genitais. A seguir, aplicou-se o questionário Female Genital Self Image Scale (FGSIS), o qual analisa a autoimagem genital, constituído por 7 itens que se dividem em perguntas envolvendo sentimentos e crenças em relação ao próprio órgão genital, sendo seu ponto de corte de 21,8 pontos. Para a análise estatística dos resultados, utilizou-se a estatística descritiva. Das 132 idosas entrevistadas, apenas 14, com média de idade de 67,29±6,29, realizaram algum procedimento estético genital, sendo que destes procedimentos, foram realizadas a Perineoplastia (n=11, 78,57%), Labioplastia (n=2, 14,28%) e Clitoriplastia (n=1, 7,14%). Quanto ao FGSIS, essas entrevistadas apresentaram como média de 25,43±2,56, sendo que 12 (85,72%), apresentaram uma boa autoimagem genital. Já 118 das idosas não realizaram procedimento estéticos, com média de idade de 69,73±6,84. Em relação ao FGSIS, apresentaram média de 25,42±3,01, sendo boa autoimagem genital (n=98, 83,05%). Devido os resultados expostos, notou-se que os dois grupos se mostraram satisfeitas com a própria imagem genital. Isto mostra que para este grupo não é necessária a realização de procedimentos estéticos para se sentir bem e segura com seu órgão genital na velhice, sendo um fator de grande importância, pois este está diretamente relacionado com a sexualidade e se torna um fator essencial para se ter uma elevada qualidade de vida, principalmente na terceira idade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
TURCHETTO, F.; IOP TAVARES, D.; DOS SANTOS CANDIDO, A.; MARIA FOLETTO PIVETTA, H. AUTOIMAGEM GENITAL DE IDOSAS COM E SEM A REALIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS NA GENITÁLIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.