AUTOIMAGEM GENITAL DE IDOSAS COM ALTERAÇÕES NA REGIÃO GENITAL

  • Amanda Candido
  • Deise Iop Tavares
  • Fernanda dos Santos Turchetto
  • Hedioneia Maria Foletto Pivetta
Rótulo Imagem, corporal, Genitália, Sexualidade, Idoso

Resumo

A autoimagem genital feminina consiste na percepção que a mulher tem de seu órgão sexual, a qual pode ser influenciada por experiências sexuais e sociais. Tendo em vista a interferência que a autoimagem genital pode ocasionar na confiança no que se refere a atratividade e atividade sexual feminina, esta pode ser considerada um fator de relevância a ser compreendido como componente de saúde. A ocorrência de alterações como o aparecimento de verrugas nas genitálias, corrimentos ou pruridos pode ser responsável por ocasionar alterações negativas na autoimagem genital, principalmente em idosas, pois na população idosa a sexualidade ainda é tratada como tema tabu e por muitas vezes é deixada de lado. Perante o exposto, o presente estudo teve como objetivo verificar a autoimagem genital de idosas que apresentam alteração na região genital. O estudo foi de abordagem quantitativa, explicativa e retrospectiva com mulheres com 60 anos ou mais, sexualmente ativas e participantes de grupos de atividade física de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul. Foram excluídas aquelas com déficit cognitivo ou qualquer patologia genital autorreferida ativa. Para investigar a presença de alterações como verrugas, corrimentos ou pruridos foi utilizado uma ficha sociodemográfica adaptada. Para investigar a autoimagem genital utilizou-se o Female Genital Self Image Scale (FGSIS) onde o ponto de corte é de 21,8 pontos. Para a análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva. A amostra foi constituída por 18 idosas com alterações na genitália, que apresentam média de idade de 68±6,7 anos. Da amostra total 38,88% (n=7) das idosas apresentam verrugas, em 16,66% (n=3) foi constatado alterações no corrimento e 66,66% (n=12) relataram a presença de prurido em suas genitálias. Em relação a percepção sobre a autoimagem genital, a amostra resultou em uma média de 23,39±4,05 que caracteriza uma boa autoimagem genital. O presente estudo mostrou que as idosas com alterações percebem a sua genitália de uma forma positiva. Esses dados são relevantes pois muitas mulheres dessa faixa etária podem considerar as alterações acima citadas como normais e inerentes ao envelhecimento, além de tratar a sexualidade como algo que não necessita de atenção, o que se dá principalmente pela falta de comunicação a respeito do assunto.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
CANDIDO, A.; IOP TAVARES, D.; DOS SANTOS TURCHETTO, F.; MARIA FOLETTO PIVETTA, H. AUTOIMAGEM GENITAL DE IDOSAS COM ALTERAÇÕES NA REGIÃO GENITAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.