DIFERENTES TIPOS DE EXERCÍCIO TÊM EFEITOS POSITIVOS NA MEMÓRIA E STATUS OXIDATIVO CEREBRAL SOMENTE QUANDO PRATICADOS ISOLADAMENTE

  • Caroline Soares
  • Leticia Rossi Daré
  • Karine Ramires Lima
  • Luiza Freitas Lopes
  • Pamela Billig Mello Carpes
Rótulo Doença, Alzheimer, Exercício, físico, Disfunção, Cognitiva, Stresse, Oxidativo

Resumo

O acúmulo da proteína β-amiloide (βA) no cérebro, como ocorre na Doença de Alzheimer, provoca neurotoxicidade e déficits cognitivos. Evidências sugerem que o exercício físico pode ser uma estratégia de prevenção . O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do exercício de corrida de força, realizados isoladamente ou associados (concorrente), sobre o déficit de memória e o estresse oxidativo hipocampal induzido pela neurotoxicidade da proteína βA. O projeto foi aprovado pelo CEUA/Unipampa(Protocolo 031/2018). Ratos Wistar adultos machos foram divididos em 4 grupos (n=16-24/grupo): Controle (animais sedentários); Força (submetidos ao exercício de força)); Corrida (submetidos ao exercício de corrida); Concorrente (submetidos a ambos os tipos de exercícios no mesmo dia). Após 8 semanas de exercícios, os animais foram submetidos à cirurgia estereotáxica para infusão de proteína βA ou salina no hipocampo, e então subdivididos em 8 grupos (n=8-12/grupo): Controle; βA; Força; Força+βA; Corrida; Corrida+βA; Concorrente; Concorrente+βA. A tarefa de Reconhecimento de objetos (RO) foi utilizada para avaliação da memória. Para as análises bioquímicas de estresse oxidativo hipocampal foram avaliados: níveis de espécies reativas de oxigênio (ROS/DCFH), peroxidação lipídica (TBARS) e capacidade antioxidante total por redução férrica (FRAP). Os resultados foram analisados por ANOVA de duas vias, e post hoc de Sidak. No teste de memória, foram encontradas diferenças entre os grupos (P=0,0178) e interação entre as variáveis analisadas (P=0,0008). A infusão da proteína βA promoveu déficit de memória (P=0,0366 vs. controle). O exercício de corrida melhorou a memória (Corrida+βA vs. βA: P=0,0115), enquanto os exercícios de Força e Concorrente não foram capazes de prevenir o déficit de memória induzido por βA (Força+βA vs. βA: P = 0,9989; Concorrente+βA vs. βA: P = 0,1703). Os resultados bioquímicos também mostraram diferenças entre os grupos (P<0,05). A infusão de βA aumentou a peroxidação lipídica (P=0,0002) e diminuiu a capacidade antioxidante (P=0,0003 vs. controle). O exercício concorrente promoveu o aumento de ROS em comparação com o grupo βA e Força+βA+. (Concorrente+βA vs. βA: P=0,0390; Concorrente+βA vs. Força+βA: P=0,0002). Todos os tipos de exercício promoveram uma diminuição na peroxidação lipídica em ratos βA (Corrida+βA vs. βA: P=0,0111; Força+βA vs. βA: P=0,0039; Concorrente+βA vs. βA: P=0,0202). O exercício de força foi capaz de aumentar a capacidade antioxidante em ratos βA (P=0,0009). Assim, podemos concluir que a prática de exercício de corrida previne déficits cognitivos e peroxidação lipídica do hipocampo, enquanto exercícios de força são capazes de diminuir a peroxidação lipídica e aumentar a capacidade antioxidante; por outro lado, exercícios realizados simultaneamente não promoveram benefícios à memória e parecem prejudicar o equilíbrio oxidativo hipocampal.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
SOARES, C.; ROSSI DARÉ, L.; RAMIRES LIMA, K.; FREITAS LOPES, L.; BILLIG MELLO CARPES, P. DIFERENTES TIPOS DE EXERCÍCIO TÊM EFEITOS POSITIVOS NA MEMÓRIA E STATUS OXIDATIVO CEREBRAL SOMENTE QUANDO PRATICADOS ISOLADAMENTE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.