EXPOSIÇÃO AO FUNGICIDA MANCOZEB COMPROMETE A HOMEOSTASE REDOX EM LARVAS DE PEIXE ZEBRA (Danio rerio)

  • Maria Mariano
  • Illana Kemmerich Martins
  • Leonardo Gomes Pereira
  • Thais Posser
  • Jeferson Luis Franco
Rótulo agroquímicos, estresse, oxidativo, sistema, antioxidante, toxicidade, zebrafish

Resumo

O impulso da comercialização de agroquímicos, como resultado do crescimento demográfico e expansão agrícola favorece o consumo destas substâncias, associados a níveis de contaminação. O desenvolvimento de doenças neurodegenerativas estão relacionadas a exposição de agroquímicos, como o Mancozeb pertencente a classe dos ditiocarbamatos. A presença do manganês e zinco na sua fórmula molecular conferem efeitos tóxicos, inibindo sistemas enzimáticos antioxidantes críticos ao reparo e defesa celular contra o estresse oxidativo. Portanto, este estudo objetiva avaliar possíveis alterações em parâmetros bioquímicos associados a toxicidade do fungicida Mancozeb no organismo modelo, peixe zebra (Danio rerio). Todos os protocolos empregues foram aprovados e regulamentados pelo CEUA - Unipampa (protocolo 003/2016). Larvas de peixe-zebra com 6 dias pós fertilização foram tratadas com Mancozeb durante 24 horas nas concentrações de 0,25 mg/L, 0,5 mg/L e 0,75 mg/L e, após esse período, foi realizado os ensaios para avaliar os níveis de espécies reativas de oxigênio e atividade enzimática. O estado estável redox através da oxidação do diacetato de diclorofluoresceína, indicador da formação de espécies reativas de oxigênio foi determinado e a atividade das enzimas antioxidantes superóxido dismutase, catalase, glutationa-S-transferase, glutationa peroxidase, glutationa redutase e tiorredoxina redutase. No ensaio de estado estável redox, houve um aumento na produção de espécies reativas de oxigênio durante o período de exposição nas concentrações de 0,25 mg/L e 0,5 mg/L. Na avaliação da atividade de enzimas antioxidantes, a concentração de 0,5 mg/L no período de 24 horas, aumentou a atividade da superóxido dismutase, podendo estar relacionado a uma elevada produção do radical superóxido. No ciclo metabólico da glutationa, a glutationa redutase é responsável pela regeneração da glutationa oxidada à sua forma reduzida e neste estudo, sua atividade permaneceu igual ao grupo controle. A glutationa peroxidase catalisa a detoxificação de peróxidos sendo sua atividade dependente de glutationa, enquanto a tiorredoxina redutase também é capaz de desintoxicar peróxidos, porém, possui mecanismo próprio. A diminuição da atividade enzimática da glutationa peroxidase e tiorredoxina redutase, sugere que essas enzimas não foram requeridas devido a presença de outros sistemas antioxidantes que mantém o estado estável redox, dado que a atividade enzimática da catalase e glutationa-S-transferase não apresentaram alterações significativas, podendo estar atuando sobre o mesmo produto da dismutação do radical superóxido, o peróxido de hidrogênio, mantendo a homeostase celular. Conforme os resultados, o Mancozeb é um agente pró-oxidante que perturba as defesas antioxidantes em larvas de peixe-zebra que foram expostas a este composto. Mais estudos são necessários para elucidar os mecanismos da toxicidade exercida pelo fungicida, buscando compreender também a sua neurotoxicidade em humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
MARIANO, M.; KEMMERICH MARTINS, I.; GOMES PEREIRA, L.; POSSER, T.; LUIS FRANCO, J. EXPOSIÇÃO AO FUNGICIDA MANCOZEB COMPROMETE A HOMEOSTASE REDOX EM LARVAS DE PEIXE ZEBRA (Danio rerio). Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.