AÇÃO DO EXTRATO DA CASCA DE SCUTIA BUXIFOLIA NA ATIVIDADE DA ATPASE MIOSÍNICA CARDÍACA

  • Ariane Carvalho
  • Emanoeli da Rosa
  • Fabricio Ocampo Da Luz E Silva
  • Sue Elle Berro da Silva
  • Cleci Menezes Moreira
Rótulo Miosina, Scutia, buxifolia, Coronilha, ATPase

Resumo

O uso de partes de plantas para tratar doenças vem desde a antiguidade. A Scutia buxifolia pertence à família Rhamnaceae, é uma árvore popularmente conhecida como Coronilha. Ela é utilizada na medicina popular para fins diurético, anti-hipertensivo e cardiotônico. O efeito cardiotônico pode ser avaliado indiretamente pela medida da atividade ATPásica da miosina. A miosina cardíaca é uma proteína que contém um sítio catalítico para a hidrólise do ATP, responsável pela energia para geração de força ao músculo. Substâncias que ativam esta enzima contribuem para o inotropismo positivo cardíaco. Objetivo deste trabalho foi avaliar a ação do extrato da casca da Coronilha na atividade da ATPase miosínica cardíaca. Para isso, o extrato aquoso (5%, infusão 80 °C, 10 min) foi liofilizado. Os protocolos foram aprovados pelo CEUA (0092014). Para a extração da miosina, o ventrículo esquerdo de ratos Wistar machos, 3 meses de idade, alimentados normalmente com dieta padrão para ratos, (n=6), foi homogeneizado em solução tampão fosfato 150 mM contendo 0,6M de KCl, pH 6,5. A miosina solubilizada pela ação da alta força iônica foi precipitada através da adição de água, centrifugada a 30.000 xg por 30 min. Este procedimento foi realizado duas vezes para a extração da miosina. O ensaio da atividade foi realizado com tampão (pH 7,0) contendo 50 mM HEPES; 5mM de CaCl2; 0,6 M KCl; sendo ATP (1mM) o substrato, em um volume final de 200 µL. A reação foi interrompida pela adição de ácido tricloroacético a 10%. O fosfato foi determinado pelo método de Chan. A atividade específica da enzima foi expressa através do fosfato liberado pela hidrólise do ATP, em nmol de Pi/min/mg de proteína, e a proteína foi quantificada por Bradford. Foram testadas cinco concentrações de extrato (25, 75, 125, 175, 250 µg/mL). A análise estatística foi realizada por ANOVA de 1 via, post hoc de Tukey, *p<0,05 foi considerado significativo. Resultados em % de atividade: 105,02%; 102,35%; 88,43%; 74,06%; 62,15%* respectivamente para 25; 75; 125; 175; 250 µg/mL* (* versus 100%). Os resultados indicam que concentrações baixas do extrato não alteram a atividade da enzima, mas conforme aumenta a dose do extrato a atividade é diminuída, ou seja, ocorre uma inibição da atividade da ATPase miosínica. Nossos resultados aqui apresentados, in vitro, em ratos normotensos, na concentração de 250 µg/mL causou inibição desta enzima.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
CARVALHO, A.; DA ROSA, E.; OCAMPO DA LUZ E SILVA, F.; ELLE BERRO DA SILVA, S.; MENEZES MOREIRA, C. AÇÃO DO EXTRATO DA CASCA DE SCUTIA BUXIFOLIA NA ATIVIDADE DA ATPASE MIOSÍNICA CARDÍACA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.