AVALIAÇÃO DOS EFEITOS ANTIOXIDANTES DE FRUTAS DO SUL DO BRASIL NO POSSÍVEL TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER.

  • Bibiana Rabuske
  • Bibiana Pistoia Rabuske
  • Cristiane Casagrande Denardin
Rótulo Capacidade, antioxidante, Câncer, linhagem, celular, Araçá, Pitanga

Resumo

O câncer é a principal causa de morbidade e mortalidade em todo o mundo. Em termos epidemiológicos, o câncer de próstata em homens e o câncer de mama em mulheres são mais comuns. Atualmente, métodos recomendados para reduzir a progressão do câncer incluem a prevenção de fatores biológicos, químicos ou físicos que podem promover o câncer e uma dieta saudável que consuma vegetais e frutas para manter um peso ideal. Para o estudo foi utilizado o araçá, fruto nativo do Brasil, comum de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, amarelos ou vermelhos, ricos em vitamina C e contém uma grande quantidade de compostos fenólicos como epicatequina e ácido gálico. O outro fruto utilizado, foi a pitanga, conhecida muito na medicina popular, devido a diversas atividades biológicas, reduzindo o peso corporal e a pressão arterial, atividade diurética, calmante e antiinflamatória, ainda apresentam atividade antioxidante e atua na inibição da peroxidação lipídica e na remoção de radicais livres. Frente aos benefícios apresentados das frutas, procurou-se avaliar o efeito antioxidante de extratos de frutas nativas da região Sul do Brasil (araçá amarelo e vermelho; e pitanga roxa) na possível terapia do câncer utilizando modelos in vitro de cultura de células animais de câncer de próstata, mama e cólon. A extração dos compostos fenólicos foi realizada em solução etanólica (95°GL), através do extrato seco obtido, foi realizada as determinações de compostos fenólicos totais (Folin) expressos como Equivalentes de Ácido Clorogênico/ml (EAC/ml). Utilizamos as linhagens celulares C6 (glioma), DU145 (câncer de próstata) e HT-29 (adenocarcinoma colorretal), cultivadas em RPMI-1640 ou DMEM suplementados com 10% ou 20% de soro fetal bovino. Como controle utilizamos as células com o meio, sem extrato. A viabilidade celular a fim de verificar a possível toxicidade dos extratos foi avaliada pelo método de MTT. As análises estatísticas foram realizadas por ANOVA seguidas pelo teste de Tukey. Através dos estudos realizados observamos que somente o extrato de araçá vermelho apresentou redução significativa na viabilidade celular na concentração de 50µg EAC/mL na linhagem HT-29, não observando nenhuma alteração na viabilidade celular em nenhuma outra linhagem. Já o extrato dos frutos da pitanga roxa apresenta efeito promissor, sendo que a viabilidade celular foi reduzida significativamente em todas as linhagens de câncer testadas na maior concentração, 500µg EAC/mL. Além disso, o extrato de pitanga roxa teve um efeito importante e significativo na linhagem de câncer colorretal (HT-29), reduzindo a viabilidade em todas as concentrações testadas. Portanto, podemos concluir que os estudos preliminares com os extratos de araçá e pitanga roxa apresentam efeitos na redução da viabilidade celular das linhagens de câncer testadas, com destaque para o extrato de pitanga roxa que possui um efeito maior. Assim, pretendemos realizar mais estudos explorando as atividades farmacológicas destes frutos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
RABUSKE, B.; PISTOIA RABUSKE, B.; CASAGRANDE DENARDIN, C. AVALIAÇÃO DOS EFEITOS ANTIOXIDANTES DE FRUTAS DO SUL DO BRASIL NO POSSÍVEL TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.