MELATONINA PREVINE O DECLÍNIO COGNITIVO RELACIONADO AO ENVELHECIMENTO EM DROSOPHILA MELANOGASTER

  • Guilherme da Silva
  • Luana Barreto Meichtry
  • Larissa Londero
  • Leandro Cattelan Souza
  • Marina Prigol
  • Gustavo Petri Guerra
Rótulo Memória, Neuroproteção, Senescência

Resumo

A parcela da população idosa cresce cada vez mais no mundo, contudo, o processo de envelhecimento carrega consigo, fatores de risco à saúde, como a perda da integridade física, declínio na função cognitiva, doenças neurodegenerativas, entre outros. Muitos estudos utilizam animais para o estudo dessas disfunções, dentre eles está a Drosophila melanogaster (D. melanogaster), que devido a sua semelhança genética e conservação de determinados comportamentos com humanos, torna-se útil para pesquisas de aprendizagem e memória. Diante disso, tem se pesquisado o potencial farmacológico de várias moléculas relacionado a melhora na função cognitiva, dentre elas a melatonina. Pesquisas demonstram que a suplementação com melatonina exerce efeitos neuroprotetores, atenua prejuízos de memória além de melhorar a neuroplasticidade neuronal. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da suplementação com melatonina sobre as alterações cognitivas associadas ao processo de envelhecimento em D. melanogaster. A melatonina foi adicionada a dieta de moscas com diferentes idades (1 e 10 dias), durante 7 dias. As moscas foram divididas em 4 grupos: (1) controle 1 dia; (2) Mel 1 dia; (3) controle 10 dias; (4) Mel 10 dias. Ao final dos 7 dias de tratamento, quando as moscas estavam com as idades de 8 e 17 dias, elas foram submetidas a testes comportamentais. Para avaliar a memória de curto prazo, foi utilizado o teste de supressão fototáxica aversiva (SFA), o ensaio foi realizado em um labirinto T-maze, onde foi utilizado a quinina como estímulo aversivo à luz. O pré requisito para a avaliação do teste de memória, foi a fototaxia positiva das moscas. Além disso, verificou-se a atividade locomotora através do teste de campo aberto. A análise da memória de curto prazo demonstrou que o tratamento com melatonina aumentou a taxa de aprovação em moscas com idade de 1 dia, quando comparadas ao controle 1 dia (p < 0.001). Além disso, houve uma diminuição significativa na taxa de aprovação em moscas 10 dias quando comparadas ao grupo 1 dia, indicando um declínio na memória relacionado à idade, e o tratamento com melatonina foi capaz de proteger significativamente contra essa diminuição (p < 0,001). No teste de campo aberto foi observado que as moscas com 10 dias de idade apresentaram uma redução significativa no número de cruzamentos em relação ao grupo controle 1 dia (p < 0.05), indicando uma redução na locomoção relacionada ao envelhecimento. O tratamento com melatonina não foi capaz de proteger contra esta alteração. Em conclusão, o presente estudo demonstrou que o tratamento com melatonina aumentou o desempenho das moscas de 10 dias no teste de memória de curto prazo, sendo capaz de proteger o declínio cognitivo relacionado à idade em D. Melanogaster.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DA SILVA, G.; BARRETO MEICHTRY, L.; LONDERO, L.; CATTELAN SOUZA, L.; PRIGOL, M.; PETRI GUERRA, G. MELATONINA PREVINE O DECLÍNIO COGNITIVO RELACIONADO AO ENVELHECIMENTO EM DROSOPHILA MELANOGASTER. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.