MODULAÇÃO DAS VIAS OCTOPAMINÉRGICAS E COLINÉRGICAS INDUZIDAS PELO EXTRATO BRUTO E FRAÇÕES DE MANILKARA RUFULA EM BARATAS NAUPHOETA CINEREA

  • Keylla Rocha
  • Patrícia de Brum Vieira
  • Cháriston André Dal Belo
  • Lucia Helena do Canto Vinadé
  • Bruna Trindade Borges
Rótulo Neurotoxicidade, Caatinga, Bioinseticida, Extrato, planta

Resumo

As plantas endêmicas da região da Caatinga apresentam uma grande variedade de metabólitos secundários, como exemplo a espécie Manilkara rufula. Apesar de ser uma espécie pouco estudada, a literatura evidencia sua capacidade antiparasitária, sugerindo seu potencial biotecnológico. O presente estudo investiga a ação do extrato bruto e frações de M. rufula em baratas da espécie Nauphoeta cinerea, buscando seu potencial entomotóxico. Foram realizados os seguintes ensaios: ensaio da atividade da acetilcolinesterase (AChE) (Sturmer et al., 2014); preparação de coração semi-isolado (CSI) (Carrazoni et al., 2016) e ensaios eletromiográficos do nervo-músculo coxal metatorácico (JNM) (Carrazoni et al., 2016). Foram utilizados o extrato bruto de M. rufula (EBMR) (25, 50 e 100 μg/g de animal) e suas frações aquosa (FAMR) e metanólica (FMMR) (40 µg/g de animal), além de moduladores farmacológicos nos ensaios de CSI, como Octopamina (OA) (15 µg/100 µL) e o antagonista de receptores octopaminérgicos, Fentolamina (FEN) (0,1 µg/100 µL). Nos ensaios de AChE foi possível observar que todas as doses de EBMR diminuíram a atividade da enzima, principalmente em 50 e 100 μg/g de animal (44,6 ± 4,2% e 45,8 ± 2,7%, respectivamente). Nos ensaios de CSI, o ritmo cardíaco das baratas foi significativamente modulado em relação ao controle (98 ± 2,0 batimentos/min) após o tratamento com EBMR (50 e 100 μg/ 100 μL), com a redução da frequência cardíaca para 70,9 ± 4,0 e 75,7 ± 2,0 batimentos/min, respectivamente. Em busca de compreender as vias afetadas por EBMR, foram testadas OA e FEN nos ensaios de CSI. OA induziu um aumento na frequência cardíaca (102 ± 3.5 batimentos/min) enquanto FEN induziu uma diminuição dos batimentos (72 ± 5.0 batimentos/min) semelhante à dose de 50 μg/100 μL de EBMR. Em ensaios de JNM, EBMR (25 e 100 μg/g de animal) induziram uma diminuição moderada na contração muscular do inseto (41,6 ± 7,0% e 35,8,0 ± 5,0% de inibição, respectivamente). Porém, a dose de 50 μg/g de animal induziu um bloqueio neuromuscular notável aos 120 min de experimento, inibindo 69,7 ± 9,8% da contração neuromuscular em comparação ao controle. Para identificar a composição química de EBMR responsável por essa modulação, as frações FAMR e FMMR foram ensaiadas (40 μg/g de animal). A FMMR induziu uma diminuição moderada na contração neuromuscular, no entanto, FAMR induziu um bloqueio neuromuscular significativo (66.6 ± 5.4%) em relação controle. A combinação das duas frações, induziu um bloqueio neuromuscular (55.2 ± 10%) semelhante à FAMR isolada, não diferindo significativamente da mesma ou do EBMR em sua dose mais significativa para esse ensaio (50 µg/g de animal). Esse estudo confirma a entomotoxicidade dos extratos de M. rufula, evidenciando uma provável ação nas vias colinérgicas e octopaminérgicas, e o possível papel da FAMR nos efeitos observados, revelando assim, o potencial biotecnológico dessa espécie.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
ROCHA, K.; DE BRUM VIEIRA, P.; ANDRÉ DAL BELO, C.; HELENA DO CANTO VINADÉ, L.; TRINDADE BORGES, B. MODULAÇÃO DAS VIAS OCTOPAMINÉRGICAS E COLINÉRGICAS INDUZIDAS PELO EXTRATO BRUTO E FRAÇÕES DE MANILKARA RUFULA EM BARATAS NAUPHOETA CINEREA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.