AVALIAÇÃO DO PROBIÓTICO LL95 EM UM MODELO DE DEPRESSÃO UTILIZANDO LPS EM CAMUNDONGOS

  • Gabriel Alves
  • Luiza Gazeta Passos
  • Diogo Ferreira Bicca
  • Jéssica Ferreira Rodrigues
  • Francielli Weber Santos Cibin
  • Juliana Bernera Ramalho
Rótulo lipopolissacarídeo, probiótico, depressão, inflamação

Resumo

Muitas evidências têm indicado que condições pró-inflamatórias, como infecções e doenças crônicas, estão relacionadas à fisiopatologia das desordens de humor. Neste sentido, foi demonstrado que indivíduos deprimidos apresentam níveis aumentados de citocinas pró-inflamatórias como TNF-α, IL-6 e IL-1β. O lipopolissacarídeo (LPS) é comumente empregado na ativação da via imunoinflamatória, a qual está relacionada a mecanismos neurobiológicos ligados à depressão. A administração sistêmica de LPS tem sido utilizada como modelo para indução de comportamento tipo-depressivo em animais, por meio da liberação de citocinas pró-inflamatórias. Pesquisas têm demonstrado que a microbiota intestinal (MI) pode influenciar diversos aspectos da fisiologia, incluindo a comunicação intestino-cérebro e até mesmo o comportamento. Assim, a modulação da MI é vista como um alvo atrativo para o desenvolvimento de novos tratamentos para uma grande variedade de distúrbios, incluindo a depressão. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito tipo-antidepressivo da cepa Lactococcus lactis subsp. cremoris LL95 em camundongos após a administração de LPS. Para a realização deste estudo foram utilizados 40 camundongos C57BL/6 machos com 90 dias de idade divididos em quatro grupos (n=10): controle (água destilada estéril v.o. + solução salina estéril i.p.), LPS (água destilada estéril v.o. + LPS 5mg/kg i.p.), LL95 (109 UFC de LL95 + solução salina estéril i.p.) e LPS+LL95 (109 UFC de LL95 + LPS 5mg/kg i.p.) (Protocolo CEUA 033/2018). Os animais receberam uma única administração de LPS ou veículo e 24 horas depois receberam o LL95 ou veículo durante sete dias. Após 24 horas da última administração do LL95 foram realizados os testes comportamentais: OFT (teste de campo aberto) e o FST (teste de nado forçado). Foi também avaliado os níveis dos marcadores pró-inflamatórios: TNF- e IL-1 no hipocampo. Não foram observadas diferenças significativas entre os grupos na atividade locomotora dos animais, através da avaliação do número de cruzamento no OFT. Os animais que receberam o LPS tiveram um aumento significativo no tempo de imobilidade no FST, demonstrando um comportamento tipo-depressivo. O tratamento com o LL95 reduziu significativamente o tempo de imobilidade. Em relação aos marcadores de inflamação, foi observado um aumento significativo nos níveis plasmáticos de TNF- e IL-1 nos animais que receberam o LPS, enquanto a administração do LL95 por 7 dias foi eficaz em reduzir os níveis destes marcadores. Não foram observadas alterações comportamentais no grupo LL95 per se. Estes resultados mostram que o probiótico LL95 parece modular de forma significativa o processo inflamatório induzido pela administração do LPS e, desta forma, modulando também o comportamento do tipo-depressivo dos animais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
ALVES, G.; GAZETA PASSOS, L.; FERREIRA BICCA, D.; FERREIRA RODRIGUES, J.; WEBER SANTOS CIBIN, F.; BERNERA RAMALHO, J. AVALIAÇÃO DO PROBIÓTICO LL95 EM UM MODELO DE DEPRESSÃO UTILIZANDO LPS EM CAMUNDONGOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.