AVALIAÇÃO DA BOMBA DE EFLUXO COMO MECANISMO DE RESISTÊNCIA DE CANDIDA ALBICANS PROVENIENTES DA MICROBIOTA ORAL.

  • Gustavo Ruschel
  • Darliane Andreis
  • Fernanda Riffel
  • Neimah Maruf
  • Cheila Denise Ottonelli Stopiglia
Rótulo Microbiologia, Microbiota, Oral, Candida, albicans

Resumo

A composição da microbiota humana é bastante peculiar para cada indivíduo. A mesma é influenciada por diversos fatores intrínsecos e extrínsecos como hábitos alimentares, faixa etária e também o ambiente em que a pessoa vive. A microbiota oral não é diferente, pois no decorrer do desenvolvimento humano sofre diversas variações que são determinantes para a formação de determinadas bactérias ou leveduras. A levedura da espécie C. albicans é o micro-organismo isolado com maior frequência na microbiota oral. Um dos motivos para este fato deve-se ao uso indiscriminado de antifúngicos, que causam resistência as terapias medicamentosas disponíveis com o decorrer do tempo. Em decorrência disto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil de suscetibilidade do antifúngico anfotericina B e também analisar o mecanismo de resistência bomba de efluxo nas leveduras isoladas a partir da microbiota oral. Foram determinadas as Concentrações Inibitórias Mínimas (CIM) em quatro isolados de C.albicans através do método de microdiluição em caldo. Para a determinação da atividade da bomba de efluxo, foi utilizado o antifúngico anfotericina B em associação com prometazina e verapamil, inbidores da bomba de efluxo. Todos os isolados de C. albicans se mostraram resistentes frente ao antifúngico avaliado. Os inibidores da bomba de efluxo com anfotericina B reduziram a CIM em duas vezes para dois isolados e não apresentaram redução nos demais. Com estes resultados, pode-se inferir que se faz necessário o aumento no número de isolados para a avaliação da alta resistência apresentada por estes micro-organismos, provenientes da microbiota oral, bem como, dos possíveis mecanismos de resistência envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
RUSCHEL, G.; ANDREIS, D.; RIFFEL, F.; MARUF, N.; DENISE OTTONELLI STOPIGLIA, C. AVALIAÇÃO DA BOMBA DE EFLUXO COMO MECANISMO DE RESISTÊNCIA DE CANDIDA ALBICANS PROVENIENTES DA MICROBIOTA ORAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.