Avaliação da atividade inibitória de desinfetantes utilizados em um hospital veterinário de Uruguaiana-RS

  • Bruna Nolasco
  • Cheila Denise Ottonelli Stopiglia
  • Tatiane Goulart de Lima
Rótulo micro-organismos, desinfetantes, hospitalar

Resumo

Infecções ocasionadas por contaminação patogênica de ambientes têm sido uma grande preocupação ao sistema hospitalar. A descontaminação de ambientes busca promover maior segurança e menores riscos. Mas, para que se tenha um local salubre e seguro é necessário conhecer criteriosamente os produtos de limpeza utilizados. Frente ao exposto, esse trabalho avaliou in vitro a eficácia dos produtos utilizados na limpeza e desinfecção de setores clínicos e cirúrgicos de um hospital veterinário de Uruguaiana. Os protocolos dos ensaios foram baseados na legislação sanitária vigente. Foram analisadas cinco amostras de produtos químicos, com os seguintes princípios ativos: 1) hipoclorito de sódio 10%; 2) cloridrato de polihexametileno biguanida e cloreto de alquil dimetil benzil amônio com cloreto de dedecil dimetil amônio; 3) peróxido de hidrogênio (álcool láurico etoxilado); 4) cloreto de didecil dimetil amoníaco + cloreto de alquil amido propil dimetil benzilamônio 5% e 5) detergente a base de tensoativo aniônico, diluídos nas concentrações conforme o fabricante, para um volume de 9000µL. Isolados clínicos de Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli, Staphylococcus aureus meticilina resistente (MRSA) e Klebsiella pneumoniae carbapenemase foram padronizados em espectrofotômetro na concentração 10⁵ UFC/mL. Em seguida, alíquotas com 250µL de cada um desses micro-organismos foram transferidas para a solução de desinfetante a ser avaliada. Do produto solução desinfetante mais pool de micro-organismos foram retiradas alíquotas de 10µL, nos tempos de 30 segundos, 1 minuto, 2,5 minutos, 5 minutos, 10 minutos, 15 minutos e 20 minutos e semeadas em placas com ágar PCA (Plate Count Agar) que foram incubadas por 24 horas na temperatura de 35ºC ± 2°C. Posteriormente foram realizadas contagens das colônias obtidas, com o auxílio de contador manual de colônias e identificação das colônias presentes por meio da coloração de Gram, microscopia e testes bioquímicos. Os resultados mostraram a resistência de dois micro-organismos frente a três dos cinco produtos analisados. Houve crescimento da Pseudomonas aeruginosa no tempo de 30 segundos frente ao desinfetante à base de biguanida (2). Ocorreu também o crescimento de MRSA nos tempos de 30 segundos até 10 minutos no ensaio do desinfetante à base de peróxido de hidrogênio (3) e não houve inibição microbiana com o detergente (5). Os produtos à base de benzilamônio 5% (4) e hipoclorito de sódio 10% (1) foram efetivos em todos os tempos analisados. Deste modo, entre os produtos avaliados, dois desinfetantes mostraram-se totalmente eficazes na inibição microbiana. Os outros três reduziram o crescimento dos micro-organismos dependendo do tempo de contato do produto com os micro-organismos. Isto posto, de acordo com os critérios da legislação brasileira, os produtos analisados estão adequados para a utilização na desinfecção de ambientes hospitalares desde que sejam seguidos os padrões de diluição estabelecidos pelo fabricante.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
NOLASCO, B.; DENISE OTTONELLI STOPIGLIA, C.; GOULART DE LIMA, T. Avaliação da atividade inibitória de desinfetantes utilizados em um hospital veterinário de Uruguaiana-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.