RIQUEZA E ESTRUTURA DO COMPONENTE REGENERANTE DO SUB-BOSQUE DE PLANTIO ABANDONADO DE EUCALYPTUS CAMALDULENSIS DEHNH.

  • Manoela Campagner
  • Manoela Rodrigues Campagner
  • Carolina de Souza Lopes
  • Matheus Teixeira Martins
  • Eduardo Cantarelli Camargo
  • Gabriel Paes Marangon
  • Patrícia de Oliveira Neves
Rótulo fitossociologia, regeneração, natural, bioma, Pampa

Resumo

Áreas verdes em ambientes urbanos podem gerar vários benefícios seja na melhoria da qualidade de vida da população, como também para a fauna e flora em geral. No ambiente acadêmico, a presença de áreas verdes são importantes pois servem como laboratórios a céu aberto, complementando o ensino sob a ótica ambiental visto em sala de aula. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a composição florística e a estrutura da regeneração natural presente no capão de mato de um plantio abandonado de Eucalyptus camaldulensis Dehnh., a fim de verificar a necessidade de traçar estratégias que possam contribuir com o ingresso de novas espécies nativas. A área de estudo apresenta tamanho aproximado de 2 ha, e caracteriza-se por uma vegetação em estádio inicial de regeneração. A mesma encontra-se no campus universitário da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), localizado no município de São Gabriel (RS). A classificação das famílias botânicas seguiu Angiosperm Philogeny Group IV (APG), e a atualização taxonômica das espécies e seus autores seguiu a Flora do Brasil 2020. As espécies amostradas foram caracterizadas quanto à origem, categoria sucessional e síndrome de dispersão. Amostras vegetais foram coletadas e depositadas no acervo do Herbário Bruno Edgar Irgang (HBEI), como material testemunho. Para a análise fitossociológica foi utilizado o método de amostragem sistemática de parcelas, contemplando apenas os indivíduos lenhosos, excetuando as lianas. Na amostragem foram incluídos indivíduos com altura igual ou superior a 50 cm (h ≥ 50 cm) e diâmetro à altura do peito inferior a 5 cm (DAP < 5 cm). Os parâmetros fitossociológicos estimados foram os valores absolutos e relativos de frequência, densidade e dominância, além da estimativa da regeneração natural. Foram demarcadas 15 parcelas (1 m x 10 m), totalizando 0,015 ha. Foram amostradas 14 espécies, distribuídas em seis famílias botânicas (Asteraceae, Anacardiaceae, Fabaceae, Myrtaceae, Rhamnaceae e Verbenaceae), não foi possível a identificação de quatro espécies. Dentre as espécies identificadas, todas são nativas do bioma Pampa. Quanto à categoria sucessional, oito foram classificadas como pioneiras (80%) e duas, como secundárias iniciais (20%). As espécies apresentaram síndrome de dispersão anemocórica e zoocórica, numa proporção equivalente (50%). A análise estrutural revelou que Eugenia uniflora L., Baccharis dracunculifolia DC., Lithraea molleoides (Vell.) Engl., Acanthostyles buniifolius (Hook. & Arn.) R.M.King & H.Rob., predominaram em valores relativos de densidade e frequência, apresentando, dessa forma, as maiores estimativas de regeneração natural. Apesar da baixa riqueza amostrada no componente regenerante, as espécies presentes são representativas da flora local e com potencialidade de atração da fauna dispersora. Entretanto, para que se perceba um incremento expressivo na diversidade vegetal, será necessário aplicar técnicas florestais voltadas para essa finalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
CAMPAGNER, M.; RODRIGUES CAMPAGNER, M.; DE SOUZA LOPES, C.; TEIXEIRA MARTINS, M.; CANTARELLI CAMARGO, E.; PAES MARANGON, G.; DE OLIVEIRA NEVES, P. RIQUEZA E ESTRUTURA DO COMPONENTE REGENERANTE DO SUB-BOSQUE DE PLANTIO ABANDONADO DE EUCALYPTUS CAMALDULENSIS DEHNH. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.