INCIDÊNCIA DE PATÓGENOS EM SEMENTES DE TRIGO PRODUZIDAS SOB DIFERENTES ÉPOCAS E PARCELAMENTOS DE NITROGÊNIO

  • Bianca Rodrigues
  • Ketlen Raisa Rey Rodrigues
  • Lucas Santos Bastos
  • Lucas Macuglia Stolte
  • Renata Silva Canuto De Pinho
  • Daniel Ândrei Robe Fonseca
Rótulo Triticum, aestivum, L, adubação, nitrogenada, patologia, sementes

Resumo

A ocorrência de doenças no trigo geralmente se dá devido à contaminação de sementes, provocando redução na produtividade. Dentre os fatores que influenciam o grau de severidade de doenças, está a nutrição mineral da planta. O nitrogênio (N) influencia as doenças por causar mudanças fisiológicas nas plantas, por afetar o crescimento ou a virulência do patógeno e por modificar o ambiente, especialmente a rizosfera. Diversos fatores influenciam no efeito que o N exercerá sobre a planta, dentre eles a época de aplicação. Objetivou-se neste trabalho avaliar a incidência de patógenos em sementes de trigo produzidas sob diferentes épocas/parcelamentos de N. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com três genótipos (Tbio Sonic, Tbio Sinuelo e OR 1401), seis épocas/parcelamentos de N (EPN) e quatro repetições de 25 sementes, em esquema fatorial 3 x 6. Os tratamentos com épocas/parcelamento de N foram: T1 - 100% da dose N em V3; T2 - 50% da dose de N em V3 e 50% de N diferenciação floral; T3 - 30% da dose de N em V3, 50% de N na diferenciação floral e 20% de N no florescimento; T4 - 100% da dose de N na diferenciação floral; T5 - 50% da dose de N em V3, 30% de N na diferenciação floral e 20% no florescimento; T6 - 80% da dose de N na diferenciação floral e 20% no florescimento. Para avaliação da incidência de fungos foi realizado o teste de sanidade de sementes pelo método do blotter test. O experimento foi montado em caixas Gerbox, onde 25 sementes foram dispostas a 2 cm uma das outras, sob três camadas de papel de germinação umedecidos com 2,5 vezes o peso do papel com água destilada e esterilizada. Logo após, as caixas foram incubadas em câmara de crescimento BOD, por 24 h, a temperatura de 20 ± 2 °C. Após esse período, as amostras foram congeladas a -20 °C, por 24 h e, em seguida, as Gerbox foram colocadas em BOD a 20 ± 2 °C por mais cinco dias. Após o tempo de incubação, as sementes foram analisadas individualmente em estereomicroscópio para quantificação e identificação dos fungos. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, e as médias, comparadas pelo teste de Tukey no programa SISVAR. Não houve interação significativa entre cultivar e EPN na incidência de fungos e quando se avaliou cada fator isoladamente. Quando se avaliou cada espécie de fungo individualmente, não houve interação entre cultivares e EPN. No entanto, Alternaria sp., Aspergillus sp., Penicillium sp., Phoma sp., Epicocum sp. e Rizophus sp. apresentaram diferença estatística entre cultivares e, Penicillium sp., Colletotrichum sp., e Curvularia sp. apresentaram diferença estatística para EPN. Entretanto, observou-se que não há um padrão de distribuição dos fungos em função de cultivares ou EPN. Portanto, a EPN, para as três cultivares testadas, não influencia a sanidade de sementes de trigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
RODRIGUES, B.; RAISA REY RODRIGUES, K.; SANTOS BASTOS, L.; MACUGLIA STOLTE, L.; SILVA CANUTO DE PINHO, R.; ÂNDREI ROBE FONSECA, D. INCIDÊNCIA DE PATÓGENOS EM SEMENTES DE TRIGO PRODUZIDAS SOB DIFERENTES ÉPOCAS E PARCELAMENTOS DE NITROGÊNIO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.