TAXA DE ACÚMULO DE FORRAGEM EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (SIPA) EM TERRAS BAIXAS

  • Ericson Oviedo
  • Renata da Rosa Dornelles
  • Danielli dos Santos Comassetto
  • Thiago Arraes Pereira Marója Ribeiro
  • Eduardo Bohrer De Azevedo
Rótulo Soja, Arroz, Azevém, Sucessão, cultivos

Resumo

O uso da produção de arroz irrigado na fronteira oeste do RS é uma das principais atividades agrícolas na região, seu uso intensivo e manejo inadequado vem provocando problemas no ambiente e com isso degradação do solo. Com isso a implementação de Sistemas de Integrados de Produção Agropecuária (SIPA) vem se tornando uma realidade aos produtores. Caracterizado por ser um manejo conservacionista onde ocorre a entrada de pastagens e pecuária no intervalo entressafras de verão e inverno, que pode e vem sendo usado na remediação de áreas degradadas. A partir disso, este trabalho teve como objetivo analisar a taxa de acúmulo diário de forrageiras hibernais em SIPAs em terras baixas da Fronteira Oeste do RS. O experimento foi feito nos anos de 2018 e 2019, na Estação Experimental Regional do Instituto Riograndense do Arroz (IRGA) localizada em Uruguaiana - RS. Em que foram implementados 3 diferentes SIPAs, (I) AAPAL - Arroz, Azevém, Pousio, Azevém + Leguminosas; (II) SASA - Soja, Azevém, Soja, Azevém; (III) AAPA - Arroz, Azevém, Pousio, Azevém. O delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados, com medidas repetidas no tempo e três repetições de área, resultando em nove unidades experimentais (piquetes). As avaliações foram feitas com periodicidade entre 20 a 30 dias cada totalizando 7 períodos, sendo 3 períodos na fase de pastagem hibernal em 2018 e 4 períodos em 2019. Com o auxílio de 3 gaiolas de exclusão de pastejo por piquete foi feita a avaliação da taxa de acúmulo diário da forragem (kg MS ha-1 dia-1). As coletas eram feitas a cada período e a diferença entre a matéria seca das amostragens entre períodos foi considerada como forragem acumulada. Sendo então a taxa de acúmulo diária da forragem feita através da razão entre o acúmulo de forragem e o número de dias entre cortes. Não houve (P = 0,084) interação entre os tratamentos e os períodos de avaliação para a taxa de acúmulo diário. O tratamento SASA teve maior (P=0,014) taxa de acúmulo diário de forragem (50,1 kg MS ha-1 dia-1) em relação aos demais tratamentos, AAPAL (40,2 kg MS ha-1 dia-1) e AAPA (40,6 kg MS ha-1 dia-1). O aumento da taxa de acúmulo diário de forragem foi tão significativo no SASA que esse tratamento mostrou-se o melhor sistema com relação aos outros avaliados. Em que a entrada da soja em período pré e pós azevém pode ser considerado um fator determinante no desenvolvimento da forrageira devido a soja ser uma leguminosa e por isso apresentar uma maior fixação biológica do nitrogênio do que comparada as situações de pousio, arroz ou azevém em consórcio com leguminosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
OVIEDO, E.; DA ROSA DORNELLES, R.; DOS SANTOS COMASSETTO, D.; ARRAES PEREIRA MARÓJA RIBEIRO, T.; BOHRER DE AZEVEDO, E. TAXA DE ACÚMULO DE FORRAGEM EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (SIPA) EM TERRAS BAIXAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.