COMPOSIÇÃO QUÍMICA E MORFOLÓGICA DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS ANUAIS HIBERNAIS EM DATAS DE SEMEADURA

  • Danielli Comassetto
  • Augusto Gossmann Pinto
  • Eduardo Avelino Faleiro
  • Renata da Rosa Dornelles
  • Eduardo Bohrer De Azevedo
  • Tiago Antônio Del Valle
Rótulo Colmo, fibra, detergente, neutro, folha, proteína, bruta

Resumo

A produção animal com base em pasto está cada vez mais intensificada, onde, a escolha da forrageira mais adequada ao sistema produtivo visa contemplar parâmetros de quantidade e qualidade. As condições edafoclimáticas onde o sistema está inserido têm influência direta nesses atributos. As gramíneas forrageiras hibernais aveia branca, azevém anual e o trigo duplo-propósito possuem boa adaptação às condições subtropicais, com índices satisfatórios de produção e qualidade. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar parâmetros morfológicos e a composição química destas gramíneas forrageiras em datas de semeadura na Fronteira Oeste do estado do RS. O experimento foi conduzido na área experimental da Universidade Federal do Pampa-Itaqui, RS, de março a outubro de 2018. O delineamento foi de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os tratamentos, as espécies: aveia branca (Avena sativa) cv. IPR Esmeralda, azevém anual (Lolium multiflorum Lam.) cv. Barjumbo e, trigo duplo-propósito (Triticum aestivum L.) cv. BRS Tarumã e as datas de semeadura: 13 de abril, 22 de maio, 20 de junho, 18 de julho e 17 de agosto. Cada parcela possuía 5 m², seis linhas e espaçamento entre linhas de 0,17 m. Calculou-se os parâmetros através da média de cortes sucessivos, realizados em área útil de 1,75 m2, com altura do dossel de 30 cm para a aveia e trigo e 20 cm para o azevém, e resíduo de 50% da altura do dossel para todas as espécies. Após, as amostras foram pesadas e, secas em estufa de circulação de ar, à 55ºC por 72 horas. Os componentes morfológicos foram separados em folha/colmo, manualmente. Para análise química, as amostras foram moídas e, determinada a porcentagem de matéria seca em estufa de circulação de ar a 105°C por 12 horas. A proteína bruta (PB) pelo método de Kjeldahl, obtida pelo nitrogênio total (NT) x 6,25 e a fibra em detergente neutro (FDN) pela técnica de detergentes. Os dados foram submetidos a análise de variância e comparação de médias pelo teste de PDIFF à 5% de probabilidade de erro. O trigo obteve menor (P<0,033) proporção de folhas que às demais espécies nas semeaduras de maio a julho. A aveia obteve maior número de folhas (P=0,002) com 95% na semeadura de julho, assim como o azevém em agosto com 93% (P=0,011). O azevém obteve menores teores de PB (P<0,003) nas semeaduras de abril e maio, com 25% e 29% respectivamente, na semeadura de julho o maior teor de PB (P=0,001) foi para o trigo com 34%. O trigo obteve maior teor de FDN (P<0,001) nas semeaduras de abril a julho, variando de 50 a 57%, e a aveia na semeadura de agosto, com teor de 52% (P=0,023). Evidencia-se que o trigo e a aveia sofrem alterações biológicas quando semeados tardiamente, com maturação fisiológica mais precoce, resultando no alongamento do colmo e diminuição de folhas, tornando as plantas mais fibrosas, aumentando o teor de FDN. Em que pese a diferença entre as espécies no teor de PB, todas apresentaram valores acima do preconizado nas exigências nutricionais de ruminantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
COMASSETTO, D.; GOSSMANN PINTO, A.; AVELINO FALEIRO, E.; DA ROSA DORNELLES, R.; BOHRER DE AZEVEDO, E.; ANTÔNIO DEL VALLE, T. COMPOSIÇÃO QUÍMICA E MORFOLÓGICA DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS ANUAIS HIBERNAIS EM DATAS DE SEMEADURA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.