ADIÇÃO DE ÓLEOS ESSENCIAIS DO CAPIM LIMÃO E A ESTABILIDADE AERÓBIA EM SILAGEM DE SORGO

  • Carine Rodrigues
  • Eduardo Avelino Faleiro
  • Roberto Cantoia Júnior
  • Rafael Machado dos Santos
  • Tiago Antonio Del Valle
  • Eduardo Bohrer de Azevedo
Rótulo Aditivo, deterioração, forrageira, tropical, pH, temperatura

Resumo

A estabilidade aeróbia é uma das características desejáveis de silagens, especialmente durante a primavera-verão: maiores temperaturas favorecem a proliferação de fungos e a deterioração da massa, com aumento da temperatura e do pH. A utilização de inibidores do crescimento microbiano pode reduzir o crescimento destes microrganismos e aumentar a estabilidade aeróbia da silagem. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da adição de níveis de óleo essencial do capim limão (OECL) sobre a estabilidade aeróbia da silagem de sorgo. O experimento foi conduzido em delineamento em blocos casualizados, utilizando 50 silos experimentais (tubos de PVC com 28 cm de diâmetro e 25 cm de altura). Os cinco blocos foram definidos como as cultivares de sorgo (AG2501®, Agroceres; Qualysilo®, Nusil 426®, Taguá® e Nucover 100®, Atlântica Sementes) e os tratamentos avaliados foram níveis de OECL (Quínari, Ponta Grossa, Brasil): 0, 1, 2, 3 e 4 mL por kg de matéria seca (MS). Os silos foram abertos 168 ± 2,45 dias após a ensilagem. Após a abertura, amostras de silagem (3,0 kg) foram mantidas em uma sala em temperatura controlada (21,2 ± 2,27 oC). A temperatura foi avaliada a cada 12 horas, utilizando termômetros de espeto e o pH a cada 24 h, utilizando peagâmetro de bancada, por sete dias. A adição de OECL não afetou (P = 0,16) o pH da silagem na abertura, sendo que as médias observadas foram de 4,45 a 4,49. Embora a temperatura máxima nos silos do tratamento controle tenha sido observada 60 h após a exposição aeróbia, enquanto que nos demais tratamentos a máxima temperatura tenha sido observada após 84h com a exposição aeróbia, a adição de OECL não afetou (P = 0,61) a temperatura da silagem, independentemente (P = 0,47) do tempo de avaliação. Da mesma forma, os OECL não afetaram o pH da silagem (P = 0,93) durante o ensaio de estabilidade aeróbia. Assim, a adição de OECL até 4 mL por kg MS não afeta a estabilidade aeróbia da silagem de sorgo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
RODRIGUES, C.; AVELINO FALEIRO, E.; CANTOIA JÚNIOR, R.; MACHADO DOS SANTOS, R.; ANTONIO DEL VALLE, T.; BOHRER DE AZEVEDO, E. ADIÇÃO DE ÓLEOS ESSENCIAIS DO CAPIM LIMÃO E A ESTABILIDADE AERÓBIA EM SILAGEM DE SORGO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.