FENOLOGIA DE QUATRO CULTIVARES DE MORANGUEIRO

  • Jordan Schwaab
  • Karin Gibinski Schaidhauer
  • Gustavo Guimarães Medeiros
  • Andrei Soares Moura
  • Mateus Gusmão Barcelar
  • Anderson Weber
Rótulo Morango, Estádios, fenológicos, Soma, térmica

Resumo

O morangueiro (Fragraria x ananassa) depende de condições ambientais ideais para seu bom desenvolvimento e adaptação. O objetivo do trabalho busca determinar a duração das fases em dias e necessidade de soma térmica de cada estádio fenológico (antese, frutificação e o início da coloração até a colheita) de quatro cultivares de morangueiro na fronteira oeste do Rio Grande do Sul. O experimento foi realizado durante o ano de 2019 no município de Itaqui RS, na Universidade Federal do Pampa. O clima é do tipo Cfa, subtropical sem estação seca definida e com solo classificado como Plintossolo Argilúvico Distrófico. Foram avaliadas quatro cultivares de morangueiro, a Camino Real, Fronteiras e Mercedes de dias-curto e a Albion, cultivar de dias-neutro. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com 10 repetições, cada unidade experimental foi representada por uma planta. Foram selecionados 25 botões florais por cultivar. O trabalho foi conduzido em dois canteiros, com largura de 1 m, com 0,3 m de altura e espaçados entre si em 0,5 m. O arranjo foi de 3 fileiras com 3 plantas por fileira e para cobertura do solo foi instalado mulching com filme de polietileno preto de 50 micras. A fenologia foi determinada por meio do acompanhamento e avaliação diária de botões florais desde a antese até a colheita. As avaliações ocorreram do dia 11/08/19 até o dia 31/10/19. Os resultados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Para a necessidade de soma térmica na antese e no inicio da coloração até a colheita não houve diferença entre cultivares. Porém no período de frutificação a cultivar Albion apresentou a maior necessidade de acúmulo de soma térmica com 273,58 °C dia, diferindo da cultivar Camino Real que necessitou de 235,33 °C dia. Em relação ao período total desde a antese até a colheita, a cultivar Albion necessitou 335,01 °C dia, diferindo da Camino Real que apresentou menor acúmulo de soma térmica no período integral fenológico, totalizando 296,59 °C dia. Assim, a cultivar Camino Real apresenta maior precocidade e menor necessidade de soma térmica acumulada nesses estádios em relação a Albion. Em relação à duração de dias dos estádios fenológicos nos períodos de frutificação, início da coloração até a colheita e o período total do desenvolvimento não houve diferença entre as cultivares, porém, no estádio fenológico da antese, as cultivares Albion e Fronteiras demonstraram menor tempo em dias para a abertura floral (2,36 e 2,48 dias, respectivamente). A cultivar Camino Real apresentou maior período em dias para este estádio, sendo de 3,32 dias. Já a cultivar Mercedes não diferiu das demais cultivares, indicando um tempo de antese de 2,88 dias. Diante do exposto, a cultivar Camino Real apontou maior tempo de abertura floral e a cultivar Albion apresenta maior acúmulo de soma térmica na frutificação e no ciclo total reprodutivo (antese até colheita).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
SCHWAAB, J.; GIBINSKI SCHAIDHAUER, K.; GUIMARÃES MEDEIROS, G.; SOARES MOURA, A.; GUSMÃO BARCELAR, M.; WEBER, A. FENOLOGIA DE QUATRO CULTIVARES DE MORANGUEIRO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.