PLANEJAMENTO DE ÁREAS VERDES URBANAS PARA USO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL-RS

  • Karoline da Silva
  • Priscila Bilefete da Silva
  • Paula Candida Campos
  • Cibele Rosa Gracioli
  • Bruna Denardin da Silveira
  • Rafael Marian Callegaro
Rótulo Arborização, Recreação, Educação, ambiental, Comunidade

Resumo

Consideram-se áreas verdes urbanas como o conjunto de áreas intraurbanas que apresentam cobertura vegetal (nativa e/ou introduzida), sendo arbórea, arbustiva ou rasteira. Essa vegetação tem o objetivo de contribuir de modo significativo na qualidade de vida e no equilíbrio ambiental nas cidades. As áreas verdes podem ser categorizadas como: áreas públicas; áreas de preservação permanente (APP); canteiros centrais; praças, parques, florestas e unidades de conservação (UC) urbanas; nos jardins institucionais; e nos terrenos públicos não edificados. Crianças rodeadas por vegetação crescem mais saudáveis física e mentalmente. "O acoplamento entre saúde mental e acesso a espaços verdes em sua área local é algo que deve ser considerado no planejamento urbano para garantir cidades mais verdes e saudáveis e melhorar a saúde mental dos residentes urbanos no futuro. O objetivo desse trabalho é projetar espaços verdes urbanos destinados ao lazer, saúde e educação ambiental para crianças de zero a 10 anos de idade, bem como proporcionar bem-estar a seus familiares, no município de Rosário do Sul, envolvendo a comunidade local e comunidade acadêmica. A execução se dará pelas secretarias de Planejamento e Meio ambiente, Turismo, Educação e Cultura e, Obras e Agricultura. O projeto será idealizado e executado em espaços no município de Rosário do Sul, onde alguns desses espaços já foram praças e atualmente se encontram em desuso, outros espaços são porções de áreas públicas que em algum momento haviam sido destinados a uso público e, atualmente, são denominados terrenos baldios. Essas áreas são localizadas fora do perímetro central e geralmente possuem proximidade a algum estabelecimento público, tais como escolas, postos de saúde ou casa de detenção. A implantação se dará primeiramente com a escolha das espécies vegetais a serem utilizadas e as mesmas terão a função de ser ornamental, frutífera ou sensorial. Serão utilizadas de forma individual (árvores e arbustos) e/ou em grupos (arbustos e forrações). Em um dos espaços disponíveis (praça Ana Luiza), a partir dos passos citados acima, foi realizada a implantação de diferentes espécies arbóreas e arbustivas e também foi feita a sensibilização da comunidade ao redor da mesma, através de flyers informativos, onde constavam as informações sobre o projeto, os benefícios que ele traria e como a população poderia colaborar com esse espaço verde. Essa praça possuía árvores antigas, doentes e de grande porte. Quaresmeira-anã, Hemerocalis e Agapantos foram algumas das espécies que foram implantadas nessa área, por serem plantas sem acúleos ou espinhos, sem toxidez e coloridas são espécies apropriadas para ambientes destinados a crianças. Assim, o espaço se tornou agradável e proporcionou uma sensação de bem estar aos que frequentaram/frequentam o mesmo, melhorando o desenvolvimento da criatividade, autonomia, percepção, linguagem e outras competências e habilidades das crianças da comunidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DA SILVA, K.; BILEFETE DA SILVA, P.; CANDIDA CAMPOS, P.; ROSA GRACIOLI, C.; DENARDIN DA SILVEIRA, B.; MARIAN CALLEGARO, R. PLANEJAMENTO DE ÁREAS VERDES URBANAS PARA USO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.