ISOLADOS DE TRICHODERMA SP. ANTECIPA A GERMINAÇÃO DE MAYTENUS ILICIFOLIA

  • Mylla Souza
  • Joseila Maldaner
  • Evandro Luiz Missio
  • Rosana Matos de Morais
  • Aline Peccatti
  • Gerusa Pauli Kist Steffen
Rótulo Cancorosa, Espinheira-santa, Fungos, benéficos, Sementes, florestais, Plantas, medicinais

Resumo

A espinheira-santa ou cancorosa (Maytenus ilicifolia Mart. ex Reissek) é um arbusto nativo brasileiro e suas folhas são utilizadas há gerações na área medicinal para tratamento de diversos problemas estomacais. Isso faz com que sejam crescentes os estudos a respeito de suas propriedades medicinais e tratos silviculturais, visando um melhor aproveitamento da espécie. Já o Trichoderma sp. vem se mostrando eficaz como biocontrolador de fitopatógenos e promotor de crescimento vegetal quando associado a diversas espécies. Sabe-se que as sementes de espinheira-santa perdem sua viabilidade rapidamente, devido à presença do arilo, o qual é suscetível ao ataque de microrganismos. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da inoculação de três diferentes isolados de Trichoderma sp. sobre a germinação de sementes de M. ilicifolia. Para isso, foram utilizadas sementes de M. ilicifolia, coletadas de matrizes localizadas no município de Santa Maria (RS) no mês de novembro de 2016, que foram submetidas a quatro tratamentos correspondentes à inoculação de três isolados fúngicos do gênero Trichoderma, sendo T1 e T2 isolados de Trichoderma asperelloides e o T10 Trichoderma virens, pertencentes à coleção do Centro de Pesquisa em Florestas (DDPA) e o tratamento controle (sem inoculação). Essas sementes foram separadas em quatro lotes de 100 unidades, correspondentes a cada um dos quatro tratamentos, dispostas em caixas gerbox previamente desinfestadas. Foram adicionados 500 ml de solução contendo os respectivos inóculos de cada isolado de Trichoderma. As sementes permaneceram imersas durante 5 minutos. Após, as sementes foram distribuídas em papel substrato próprio para germinação, em quatro repetições de 25 sementes e postas no germinador à 25±2 °C. A partir do 7º dia até o 28º dia, foram avaliados os percentuais de: germinação, sementes firmes e sementes mortas. Os dados foram submetidos à análise de variância e ao Teste de Tukey a 5% de probabilidade de erro. Os isolados de Trichoderma sp. promoveram antecipação significativa do início da germinação, onde na primeira contagem (7º dia), observou-se os seguintes percentuais de germinação: T1=18%, T2=23%, T10=19% e Controle=2%. O tratamento correspondente à inoculação do isolado T2 foi o único onde não foi observada morte de sementes, ao final de 28 dias. Logo, concluiu-se que os isolados de Trichoderma asperelloides (T1 e T2) e Trichoderma virens (T10) apresentaram efeitos positivos sobre a germinação das sementes de M. ilicifolia, elevando os percentuais de germinação acumulada em: 13,15; 27,63 e 18,42% respectivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
SOUZA, M.; MALDANER, J.; LUIZ MISSIO, E.; MATOS DE MORAIS, R.; PECCATTI, A.; PAULI KIST STEFFEN, G. ISOLADOS DE TRICHODERMA SP. ANTECIPA A GERMINAÇÃO DE MAYTENUS ILICIFOLIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.