AVALIAÇÃO MORFOMÉTRICA EM CARCAÇAS DE CORDEIROS TERMINADOS COM FARELO DE ARROZ INTEGRAL

  • Natalia da Silva
  • Jalise Fabíola Tontini
  • Mateus Franco Zwirtes Collares
  • Leonardo Macedo Viega
  • Mariana Gomes Ribeiro
  • Gladis Ferreira Correa
Rótulo Carne, ovina, Comprimento, carcaça, Confinamento, Raça, Crioula, lanada, Sistema, intensivo

Resumo

A demanda por carne ovina tem direcionado o foco dos produtores para a terminação de cordeiros. O sistema de confinamento tem sido uma alternativa para garantir a eficiência produtiva de animais jovens, e um dos aspectos que está diretamente relacionado com o sucesso produtivo é a qualidade nutricional da dieta. Cada vez mais se busca ingredientes alternativos com a finalidade de diminuir custos e manter a boa qualidade nutricional. O presente trabalho teve como objetivo avaliar as características morfométricas da carcaça de cordeiros da raça Crioula, em sistema de confinamento submetidos a dietas com e sem a inclusão do farelo de arroz integral (FAI). O trabalho foi desenvolvido no Setor de Ovinocultura do Campus Dom Pedrito/UNIPAMPA. Foram utilizados 20 cordeiros Crioulos, machos e castrados, com idade média de 3 meses, e peso inicial de 23,5 ± 1,4 kg e escore de condição corporal (ECC) de 2,75. Os animais foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado com dois tratamentos, sendo: ZERO com 0 % de FAI, ração formulada a base de casquinha de soja, farelo de soja e milho; e FAI - ração formulada com 13 % FAI, casquinha de soja e farelo de soja. Os animais foram alocados em baias individuais de 3 m² e receberam água e ração ad libtum, esta foi fornecida duas vezes ao dia, com ajuste do consumo de acordo com as sobras diárias. Após 67 dias de experimento os animais foram abatidos, o período que antecedeu o abate os animais passaram por jejum de sólidos de 12 horas. O abate foi realizado no Frigorifico Estância LTDA, localizado em Santana do Livramento RS. As avaliações de comprimento de perna, comprimento interno, comprimento externo, largura de garupa e profundidade de peito, foram realizadas 24 horas após o abate. Os dados foram submetidos a análise de variância (ANOVA), e as médias comparadas pelo Teste de Tukey, com nível de significância de 5%. Utilizou-se o procedimento GLM do programa estatístico SAS 9.4. Os resultados mostraram semelhança para a maioria das variáveis analisadas entre os tratamentos. Com média para comprimento de perna de 35,3 ± 0,55 cm (P= 0.5381), comprimento interno 64,5 ± 0,9 cm (P= 0.3994), comprimento externo 62,7 ± 0,98 cm (P= 0.1142) e largura de garupa 21,1 ± 0,41 (P= 0.3319). Apesar das variáveis não apresentarem diferença entre os tratamentos, a medida de profundidade de peito foi estatisticamente maior nos cordeiros do tratamento ZERO (28,1 ± 0,54 cm) em comparação aos animais do FAI (26,3 ± 0,37 cm) (P= 0.0139), embora na prática através da avaliação visual podemos consideram carcaças semelhantes, pela pequena diferença numérica. Portanto, conclui-se que a substituição do milho pelo FAI na dieta de cordeiros Crioulos confinados não altera as características morfométricas das carcaças desses animais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DA SILVA, N.; FABÍOLA TONTINI, J.; FRANCO ZWIRTES COLLARES, M.; MACEDO VIEGA, L.; GOMES RIBEIRO, M.; FERREIRA CORREA, G. AVALIAÇÃO MORFOMÉTRICA EM CARCAÇAS DE CORDEIROS TERMINADOS COM FARELO DE ARROZ INTEGRAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.