EFEITO DE DUAS FORMULAÇÕES DE SOMATOTROPINA RECOMBINANTE BOVINA (RBST) NA TEMPERATURA INTERNA DE VACAS HOLANDESAS NO VERÃO

  • Milene dos Santos
  • Maria Carolina Narval de Araújo
  • Ritieli dos Santos Teixeira
  • Antônio Amaral Barbosa
  • Rodrigo de Almeida
  • Marcio Nunes Corrêa
Rótulo Boostin, Estresse, Térmico, Lactotropin, Metabolismo, Produção, Leite

Resumo

A somatotropina recombinante bovina é um hormônio sintético análogo à somatotropina bovina natural, utilizado para aumentar a produção de leite. Todavia, acréscimos na produção podem deixar os animais suscetíveis ao estresse térmico, uma vez que há uma alta correlação entre produção de leite e incremento calórico pela maior atividade metabólica. Vacas leiteiras são consideradas em estresse térmico quando a temperatura interna está superior ao intervalo fisiológico (38,5±1,5ºC), tendo como consequência diminuição da ingestão alimentar, da produção de leite e da fertilidade. Posto isso, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de duas formas comerciais de rbST na temperatura interna de vacas da raça Holandês de alta produção. O estudo ocorreu em uma propriedade leiteira comercial localizada em Rio Grande/RS, de novembro de 2019 a janeiro de 2020. As vacas lactantes foram mantidas em compost barn, ordenhadas duas vezes ao dia, receberam TMR e água ad libitum. Foram utilizadas 18 vacas secundíparas, entre 90 e 210 dias em lactação com produção de leite média de 36,1kg/dia, distribuídas aleatoriamente em blocos inteiramente casualizados com dois tratamentos: grupos Boostin® e Lactotropin®. Foi administrada uma dose de 500mg de rbST a cada 14 dias, totalizando 5 ciclos e 70 dias de período experimental. A produção de leite foi medida eletronicamente em cada ordenha. A temperatura interna foi aferida em 6 animais de cada grupo através de termômetro intravaginal que registrava com intervalos de 30 minutos, totalizando 40.320 aferições; e o ITU mensurado diariamente através de uma estação meteorológica instalada no compost barn por um software de monitoramento (Cowmed®, Brasil). Os dados foram analisados pelo procedimento MIXED para medidas repetidas no programa estatístico SAS (SAS v9.4), considerando significativo quando P<0,05. O grupo Boostin® apresentou maior média de produção de leite em comparação ao grupo Lactotropin® (40,75±0,47 e 39,08±0,45 kg, respectivamente) (P=0,03). As médias de temperatura internas observadas ao longo do período experimental não diferiram entre os grupos, com valores de 38,83±0,05ºC para o grupo Boostin® e 38,75±0,05 para o Lactotropin® (P=0,29). Logo, as vacas mantiveram-se com temperaturas internas dentro do intervalo considerado fisiológico para espécie (38,5±1,5°C). Esperava-se que as aplicações de rbST aumentassem a temperatura interna pelo acréscimo na produção de leite e pelo ITU que se manteve em um média de 69 durante o período experimental, visto que ITU>68 já é suficiente para submeter vacas de alta produção ao estresse térmico. Contudo, isso não foi observado no trabalho, provavelmente pelas condições de conforto térmico oferecidas pelo sistema, o qual possuía aspersores e ventiladores. Assim, conclui-se que vacas tratadas com Boostin® produzem mais leite em comparação àquelas tratadas com Lactotropin®, com ambos os grupos apresentando temperatura interna dentro do fisiológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DOS SANTOS, M.; CAROLINA NARVAL DE ARAÚJO, M.; DOS SANTOS TEIXEIRA, R.; AMARAL BARBOSA, A.; DE ALMEIDA, R.; NUNES CORRÊA, M. EFEITO DE DUAS FORMULAÇÕES DE SOMATOTROPINA RECOMBINANTE BOVINA (RBST) NA TEMPERATURA INTERNA DE VACAS HOLANDESAS NO VERÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.