AVALIAÇÕES MORFOMÉTRICAS IN VIVO DE CORDEIROS DA RAÇA CRIOULA LANADA EM CONFINAMENTO

  • Diulia Galvani
  • Gustavo Preto Silva
  • Êmili Hernandes Gonçalves
  • Enrico Ceretta de Figueiredo
  • Gladis Ferreira Correa
  • Jalise Fabíola Tontini
Rótulo Características, morfológicas, Desenvolvimento, corporal, Farelo, Arroz, Integral, Ovinos, Terminação

Resumo

O aumento na demanda por carne ovina tem estimulado a terminação de animais jovens em sistemas intensivos de produção. Por estarem em uma fase de crescimento acelerado, avaliar o desenvolvimento corporal desses animais é fundamental para compreender a resposta das condições nutricionais à produção de carne dos cordeiros. Neste sentido, a terminação de cordeiros com utilização de subprodutos do arroz pode se tornar uma alternativa viável, principalmente na região da Campanha Gaúcha, onde há grandes indústrias beneficiadoras deste produto. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento corporal de cordeiros da raça Crioula Lanada, em confinamento e alimentados com dieta contendo Farelo de Arroz Integral (FAI) em substituição ao milho. O experimento foi desenvolvido no setor de Ovinocultura da Universidade Federal do Pampa, Campus Dom Pedrito RS, durante os meses de janeiro a março de 2020. Foram utilizados 20 cordeiros machos e castrados, com idade média de 3 meses, e peso inicial de 23,5 ± 1,4 kg e escore de condição corporal (ECC) de 2,75. Os animais foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado com dois tratamentos, sendo: ZERO com 0 % de FAI, ração formulada a base de casquinha de soja, farelo de soja e milho; e FAI - ração formulada com 13 % FAI, casquinha de soja e farelo de soja. Os cordeiros foram mantidos confinados, em baias individuais de 3 m², recebendo água ad libitum e ração formulada conforme cada tratamento, essa oferta foi realizada duas vezes ao dia (manhã e tarde), com ajuste do consumo de acordo com as sobras diárias. Durante o experimento, a cada 14 dias, foram realizadas as seguintes avaliações in vivo: comprimento corporal, altura do posterior, altura do anterior e perímetro torácico. Os dados foram submetidos a análise de variância (ANOVA), e as médias comparadas pelo Teste de Tukey, com nível de significância de 5%. Utilizou-se o procedimento GLM do programa estatístico SAS 9.4. Os resultados deste estudo mostraram que as medidas morfométricas in vivo foram semelhantes entre os tratamentos. Sendo elas: 64 ± 1,51 cm e 66,2 ± 1,75 cm para médias de comprimento corporal; 60,8 ± 0,59 cm e 60,6 ± 0,80 cm para altura anterior; 59,8 ± 0,94 cm 61,8 ± 0,70 cm para altura de posterior; e 84,8 ± 2,03 e 89,3 ± 1,18 cm para circunferência torácica, do tratamento FAI e do controle, respectivamente. Podemos concluir que a inclusão do FAI em substituição ao milho não interfere no desenvolvimento corporal de cordeiros Crioulos em confinamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
GALVANI, D.; PRETO SILVA, G.; HERNANDES GONÇALVES, ÊMILI; CERETTA DE FIGUEIREDO, E.; FERREIRA CORREA, G.; FABÍOLA TONTINI, J. AVALIAÇÕES MORFOMÉTRICAS IN VIVO DE CORDEIROS DA RAÇA CRIOULA LANADA EM CONFINAMENTO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.