OVOS DE TRICHURIS VULPIS EM AMOSTRAS FECAIS DE CÃES DA REGIÃO DE PELOTAS, RS

  • Paola Dallmann
  • Tanize Angonesi de Castro
  • Eugênia Tavares Barwaldt
  • Camila Moura de Lima
  • Alexsander Ferraz
  • Leandro Quintana Nizoli
Rótulo Fezes, Helmintos, Coproparasitologia

Resumo

O helminto Trichuris vulpis é encontrado no intestino de cães, principalmente no ceco e no cólon. A infecção ocorre através da ingestão de ovos contendo larvas infetantes (L1), presentes na água ou no solo, contaminados pelas fezes de animais parasitados. Os ovos de T. vulpis, em condições ideais de temperatura e umidade, são bastante resistentes no ambiente e podem permanecer viáveis por três a quatro anos. Entre os sinais clínicos observados em cães infectados, ressaltam-se: diarreia, ocasionalmente sanguinolenta, vômito, dor e distensão abdominal. O objetivo do trabalho foi demonstrar a frequência de ovos de Trichuris vulpis em amostras fecais de cães, recebidas no Laboratório de Doenças Parasitárias (LADOPAR) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) entre os anos de 2015 e 2018. Foram analisadas 1356 amostras através da técnica de Willis-Mollay (1921), que consiste na flutuação de ovos leves de helmintos em solução hipersaturada. Das amostras analisadas, em 16% (217/1356) foram observados ovos de Trichuris vulpis, sendo o ano de 2016 o de maior frequência de amostras positivas (20%). Diante do exposto, conclui-se que há uma elevada frequência de Trichuris vulpis parasitando cães do município de Pelotas, RS. É importante destacar o significativo número de amostras positivas encontradas no estudo, uma vez que representa um risco zoonótico. É necessária a adoção de medidas com o intuito de reduzir a infecção de animais e humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DALLMANN, P.; ANGONESI DE CASTRO, T.; TAVARES BARWALDT, E.; MOURA DE LIMA, C.; FERRAZ, A.; QUINTANA NIZOLI, L. OVOS DE TRICHURIS VULPIS EM AMOSTRAS FECAIS DE CÃES DA REGIÃO DE PELOTAS, RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.