PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS A PROCEDIMENTOS ANESTÉSICOS NO HUVET - UNIPAMPA

  • Felipe Martins
  • Alyssa Brum de Souza Pahim
  • Renata Orlandin
  • Giovanna Bauer Valério
  • Marilia Teresa De Oliveira
  • Tainã Normanton Guim
Rótulo Grau, risco, ASA, Anestesiologia, Veterinária

Resumo

Traçar o perfil epidemiológico dos pacientes atendidos é uma prática muito difundida nos hospitais. Além de controle da casuística, também permite ampliar o campo de visão do setor e promover atenções específicas e assertivas nos procedimentos, possibilitando a implementação de melhorias. Para tal, objetivou-se, identificar o perfil epidemiológico e a classificação do estado físico dos pacientes de pequeno porte anestesiados no Hospital Universitário Veterinário (HUVet Unipampa). Trata-se de um estudo retrospectivo, realizado a partir da análise de prontuários dos pacientes atendidos no período de janeiro a dezembro de 2018. Todos os animais de companhia de pequeno porte foram incluídos no estudo. Os dados coletados integram as seguintes variáveis: espécie, sexo, raça, massa corpórea, idade, ECC (escore de condição corporal), comportamento e classificação ASA (American Society of Anesthesiologists). Nesse período, 258 pacientes foram encaminhados a procedimentos anestésicos. Desses, 82,56% eram caninos, sendo as fêmeas mais prevalentes (66,20%) do que machos (33,80%). Embora a casuística de anestesia em felinos (17,44%) tenha sido menos frequente, assim como em caninos houve maior prevalência de fêmeas anestesiadas (66,67%) em relação aos machos (33,33%). A maior parte dos pacientes submetidos a anestesia no período analisado eram mestiços (sem raça definida, SRD), compreendendo 58,91%, seguido por poodle (5,81%), pinscher (4,26%), border collie (3,88%), yorkshire (3,1%), daschund (2,33%), bulldog francês/inglês (1,94%) e outros (19,77%). A prevalência foi de pacientes com massa corpórea com menos de 5 kg (37,6%), seguidos de animais pesando de 5 a 10 kg (25,97%), 10 a 20 kg (22,48%) e mais de 20 kg (13,95%). Para a variável idade, foi identificado o predomínio de pacientes com menos de 5 anos (65,12%), seguidos por indivíduos de 5 a 10 anos (22,09%) e mais de 10 anos (12,79%). Já para o ECC, a maior parte dos animais estava com ECC adequado (89,54%), seguidos de alto (6,20%) e baixo (4,26%). Ademais foi identificado maior frequência de pacientes dóceis e/ou calmos (69,77%) do que agitados e/ou agressivos (30,23%). Ao avaliar a prevalência relacionada a classificação na escala ASA, identificou-se o predomínio de pacientes ASA I (52,71%), seguidos dos ASA II (31,01%), ASA III (10,85%), ASA IV (3,88%) e V (1,55%). A partir deste traçado epidemiológico, foi possível identificar o perfil dos pacientes anestesiados no HUVet Unipampa em 2018, sendo os caninos fêmeas, SRD, menos de 5 kg, menos de 5 anos de idade, ECC adequado, dóceis e/ou calmos, considerados ASA I, os mais frequentes. Adicionalmente, conclui-se, que a análise do perfil epidemiológico além de possuir papel importante para o setor de anestesiologia veterinária, contribui no processo de ensino-aprendizagem dos discentes/estagiários da área.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
MARTINS, F.; BRUM DE SOUZA PAHIM, A.; ORLANDIN, R.; BAUER VALÉRIO, G.; TERESA DE OLIVEIRA, M.; NORMANTON GUIM, T. PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS A PROCEDIMENTOS ANESTÉSICOS NO HUVET - UNIPAMPA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.