PERFIL ALIMENTAR DE CÃES E GATOS DOMICILIADOS ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO SYLVIO BARBOSA CARDOSO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ.

  • Gabrielly de Sousa
  • Gabriela Maria Schwinden
  • Amanda Leal de Vasconcellos
  • Paula Priscila Correa Costa
Rótulo Alimentação, felina, Canina, Nutrição, Animal

Resumo

O convívio entre os humanos e pets convencionais está cada vez mais íntimo, aumentando assim, a preocupação dos tutores com a saúde desses animais. A nutrição é um dos principais fatores relacionados com a manutenção da saúde de cães e gatos, dependendo diretamente da alimentação escolhida. Contudo, faltam pesquisas que avaliem o conhecimento dos tutores com relação as necessidades nutricionais de seus pets, problemática essa que estimulou o desenvolvimento desse estudo com objetivo de realizar um levantamento e, assim, determinar o perfil alimentar de cães e gatos atendidos no Hospital Veterinário Sylvio Barbosa Cardoso HVSBC da Universidade Estadual do Ceará UECE. Ao longo do mês de Julho de 2019, foram entrevistados, quanto a alimentação de seus animais, 251 tutores de cães e gatos que vieram para atendimento no HVSBC da UECE. Após as entrevistas, os animais foram categorizados quanto: espécie, tipo de alimento ofertado, frequência de alimentação, qualidade da ração e fornecimento de petiscos. Os dados coletados foram analisados, com o auxílio do programa Microsoft Excel; 51 fichas foram excluídas por possuírem dados faltantes e o perfil alimentar de 200 pacientes foi avaliado. Dentre os animais atendidos no período, 82% da população eram da espécie canina e 18% da espécie felina. No presente estudo, os cães alimentavam-se principalmente de comida e ração (50%) e exclusivamente ração (46,96%). Semelhantemente, os gatos, alimentam-se principalmente de comida e ração (27,78%) e exclusivamente de ração (69,44%). Enquanto a alimentação realizada apenas por comida se mostra reduzida em ambas as espécies, 3,06% em cães e 2,78% em gatos. A predominância da alimentação por rações reflete a crescente preocupação dos tutores em garantir os nutrientes necessários à manutenção da saúde de seus animais, já que as rações comerciais são formuladas conforme as necessidades nutricionais de cada espécie animal. Em relação a frequência alimentar, entre os cães, 9 (5,49%) costumavam se alimentar uma vez ao dia; 75 (45,73%) duas vezes ao dia; 54 (32,93%) três vezes ao dia ou mais e 26 (15,85%) à vontade. Já entre os gatos, 6 (16,67%) duas vezes ao dia; 11 (30,55%) três vezes ao dia ou mais e 19 (52,78%) à vontade. Quanto à oferta de petiscos, tanto cães (51,83%) quanto gatos (52,78%) não costumavam receber petiscos. A respeito da qualidade da ração comumente ofertada, entre os cães, 33 (20,75%) faziam uso de ração a granel; 22 (13,84%) de ração econômica; 88 (55,34%) de ração premium e 16 (10,07%) de ração super premium. Já entre os gatos, 8 (22,86%) faziam uso de ração a granel; 9 (25,71%) de ração econômica e 18 (51,43%) de ração premium. Observa-se a predominância na aquisição de rações de embalagem preservada, indicando a preocupação dos tutores com o armazenamento da ração a ser destinada aos seus pets. As informações obtidas mostram o aumento do conhecimento dos tutores sobre as necessidades nutricionais de cães e gatos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DE SOUSA, G.; MARIA SCHWINDEN, G.; LEAL DE VASCONCELLOS, A.; PRISCILA CORREA COSTA, P. PERFIL ALIMENTAR DE CÃES E GATOS DOMICILIADOS ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO SYLVIO BARBOSA CARDOSO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.