ACHADOS TOMOGRÁFICOS EM UM CANINO COM OTITE

  • Mariana Carvalho
  • Mariana Lopes Carvalho
  • João Pedro Scussel Feranti
Rótulo diagnóstico, imagem, tomografia, computadorizada, otite, externa, crônica

Resumo

A otite externa canina é uma apresentação clínica frequentemente diagnosticada na rotina de pequenos animais, sendo comumente observado sua evolução para quadros mais graves, como a otite média e interna. O diagnóstico definitivo da otite por meio de técnicas de imagens aprimoradas torna-se necessário e a tomografia computadorizada auxilia na diferenciação entre espessamento da parede da bula timpânica, espaço aéreo e secreções, principalmente em casos que a mesma encontra-se totalmente remodelada. Deste modo, o objetivo deste relato é descrever os achados tomográficos de otite externa crônica grave bilateral recidivante. Foi atendido um labrador, macho, 11 anos, 37.9kg de massa corpórea e histórico de otite externa crônica durante onze meses, período que recebeu tratamento frequente de glicocorticoides sistêmicos, tópicos auriculares e terapia antimicrobiana, o qual sucedia em uma melhora, mas a doença sempre retornava após o termino do tratamento. Para auxilio no diagnóstico de otite foi encaminhado para realização de tomografia computadorizada. Utilizou-se um tomógrafo Xvision em plano axial em cortes transversais com 3 milímetros de espessura com 512x512 e 638x638 de pixels para investigação, detecção e extensão das lesões da região intracraniana. Como achado do exame, os dois condutos externos se apresentavam obstruídos, assim como a bula timpânica da orelha direita totalmente modificada, com lise e proliferação óssea, atingindo áreas adjacentes a orelha média e interna, incluindo osso basesfenoíde e orofaringe, esses mais incomuns e relevantes. As duas bulas timpânicas estavam repletas de conteúdo denso, sendo o lado direito mais reservado. Demais avaliações clínicas e laboratoriais descartaram o envolvimento de processo neoplásico como, por exemplo, o coleastoma. Os achados de calcificação de cartilagem auricular são comuns em otite externa crônica, juntamente com a infiltração de tecido inflamatório. A presença de fluido em bula timpânica é interpretada como duas vezes mais consistentes em tomografia computadorizada do que em ultrassonografia e radiografia, sendo o último o método menos consistente. O exame tomográfico permite que a visualização da bula timpânica seja livre de sobreposição devido a produção de cortes transversais e também o excelente contraste entre o lúmen normalmente cheio de ar e parede óssea. Conclui-se com o presente relato que o uso do exame tomográfico deveria ser rotineiramente utilizado como auxílio do diagnóstico de doença auditiva de caninos, afim de auxiliar nas melhores estratégicas de tratamento e no prognóstico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
CARVALHO, M.; LOPES CARVALHO, M.; PEDRO SCUSSEL FERANTI, J. ACHADOS TOMOGRÁFICOS EM UM CANINO COM OTITE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.