ALTERAÇÕES CARDÍACAS EM PACIENTES SOROPOSITIVOS À LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA

  • Eduardo da Silva
  • Caroline Castagnara Alves
  • Michaela Marques Rocha
  • Thaíssa Gomes Pellegrin
  • Francesca Lopes Zibetti
  • Paula Priscila Correia Costa
Rótulo Eletrocardiograma, Exames, imunológicos, Zoonose

Resumo

A leishmaniose é uma enfermidade causada pelo protozoário Leishmania spp., possui caráter zoonótico e distribuição mundial. Sua principal forma de transmissão é através do flebotomíneo Lutzomyia spp. e o principal reservatório urbano é o cão doméstico. O presente trabalho tem como objetivo relatar os achados eletrocardiográficos nos exames realizados em pacientes positivos para leishmaniose, provenientes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da cidade de Fortaleza - CE. Os animais analisados nesse estudo foram diagnosticados com leishmaniose visceral através de exames imunológicos com o kit DPP® Leishmaniose Visceral Canina (Bio-Manguinhos/Fiocruz) e o teste ELISA. O experimento foi autorizado pelo comitê de ética para uso de animais em pesquisa da Universidade Estadual do Ceará com o nº de protocolo 2891954/2016. Foram estudados três pacientes caninos com raças, sexos e idades variadas, sendo eles submetidos a monitorização cardíaca através do eletrocardiograma em um período de 5 minutos, foi utilizado o equipamento ECGDeltaVet e o software ECGDeltaVet7 v1.0.2 para análise dos dados. O primeiro paciente apresentou indicativos de sobrecarga ventricular esquerda, sendo preconizada a confirmação através do exame de ecocardiograma; o segundo animal tinha indicativo de sobrecarga atrial esquerda com concomitante sobrecarga ventricular esquerda, além de hipóxia do miocárdio; o terceiro animal apresentava um bloqueio de ramo direito com indicativo de sobrecarga ventricular esquerda. O exame de eletrocardiograma avalia a função elétrica do coração, sendo possível observar através dele prolongamentos na duração de ondas, sendo esses, indícios de sobrecargas como citadas anteriormente, entretanto a confirmação dessas alterações cardíacas se dá através da realização do ecocardiograma. O diagnóstico através do ecocardiograma não pôde ser realizado nesses animais, pois eles foram eutanasiados após a realização do primeiro exame por tratar-se de cães positivos para leishmaniose visceral do CCZ. Vale salientar que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Ministério da Saúde, determinam a eutanásia desses animais por não haver medicamento ou esquema terapêutico totalmente eficaz, existindo exceções em casos que os tutores se comprometam judicialmente a fazer a adoção de todos os cuidados e tratamentos para manter esse animal. Os achados condizem com o que é citado pela literatura, indicando a hipótese da Leishmania infantum ser responsável pelas alterações no músculo cardíaco, como exemplo o bloqueio de ramo direito e o aumento da duração das ondas P e dos intervalos QRS, indicativos de sobrecarga de átrio e ventrículo. Podemos apontar que animais naturalmente infectados por Leishmania infantum possuem indicativos de lesões cardíacas oriundas da infecção pelo protozoário, sendo necessária a realização de mais estudos para confirmar a hipótese.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DA SILVA, E.; CASTAGNARA ALVES, C.; MARQUES ROCHA, M.; GOMES PELLEGRIN, T.; LOPES ZIBETTI, F.; PRISCILA CORREIA COSTA, P. ALTERAÇÕES CARDÍACAS EM PACIENTES SOROPOSITIVOS À LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.