EFEITO DE DUAS FORMULAÇÕES DE SOMATOTROPINA BOVINA RECOMBINANTE SOBRE O COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE VACAS LEITEIRAS

  • Letícia Duarte
  • Maria Carolina Narval de Araújo
  • Ritieli dos Santos Teixeira
  • Antônio Amaral Barbosa
  • Rodrigo de Almeida
  • Marcio Nunes Corrêa
Rótulo Boostin, Comportamento, alimentar, Holandês, Lactotropin

Resumo

Nos últimos anos, a pecuária leiteira brasileira tem ganhado destaque devido à adoção de tecnologias que visam o aumento da produtividade dos animais, como a utilização da somatotropina recombinante bovina (rbST). A rbST atua no incremento da produção de leite através do direcionamento de nutrientes para a glândula mamária, fazendo com que os animais aumentem o consumo voluntário de alimentos para suprir a demanda causada pelo efeito positivo na produção. Dessa forma, o estudo teve como objetivo comparar o efeito da administração de duas formas comerciais de rbST (Boostin® e Lactotropin®) sobre o comportamento alimentar de vacas da raça Holandês. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Experimentação animal da Universidade Federal de Pelotas, sob o código 14131-2020. Foram utilizadas 18 vacas secundíparas da raça Holandês, entre 90 e 210 dias em lactação, com média de produção de leite de 36,1 kg/dia, distribuídas aleatoriamente em blocos inteiramente casualizados, com dois tratamentos, diferindo entre si apenas pela forma comercial da rbST administrada. Os animais foram designados aos grupos Boostin® (n=9) ou Lactotropin® (n=9), nos quais receberam uma dose de 500 mg de rbST a cada 14 dias, concluindo 5 ciclos consecutivos de aplicação e 70 dias de período experimental. A avaliação do consumo e comportamento alimentar dos animais foi obtida diariamente durante o período de 24 horas por dia, através de alimentadores inteligentes (Intergado®), de forma automática e individualizada. Nesses alimentadores foi mensurado o consumo dos animais, tempo de consumo (min/dia) e número de visitas com consumo (por dia) ao comedouro. O grupo Boostin® apresentou tendência de maior consumo de matéria seca (CMS) (P=0,07), tal fato corrobora com o encontrado por estudos anteriores, que demonstraram um acréscimo no CMS em vacas tratadas com rbST. Além disso, o grupo Boostin® apresentou um maior número de visitas com consumo (P<0,01) e maior tempo em consumo (P<0,01) em relação aos animais do grupo Lactotropin®. Esses resultados foram associados aos de consumo alimentar, onde foram maiores para as vacas do grupo Boostin®. As características do comportamento alimentar e dos parâmetros de ingestão alimentar obtidos no presente estudo foram semelhantes com os resultados relatados por outros pesquisadores, em que os animais que tiveram maior número de visita e tempo de ingestão obtiveram maior média no consumo alimentar. Portanto, conclui-se que o comportamento alimentar difere de acordo com a forma comercial de rbST utilizada, visto que os animais tratados com Boostin® tenderam a consumir mais alimento, apresentar maior número de visitas aos alimentadores e maior tempo em consumo quando comparados aos animais tratados com Lactotropin®.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
DUARTE, L.; CAROLINA NARVAL DE ARAÚJO, M.; DOS SANTOS TEIXEIRA, R.; AMARAL BARBOSA, A.; DE ALMEIDA, R.; NUNES CORRÊA, M. EFEITO DE DUAS FORMULAÇÕES DE SOMATOTROPINA BOVINA RECOMBINANTE SOBRE O COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE VACAS LEITEIRAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.