ACESSO PARACOSTAL UNILATERAL AOS OVÁRIOS DE RATAS

  • Ana Colla
  • Vitória Caroline Aires Silveira
  • Etiele Maldonado Gomes
  • Marilia Teresa de Oliveira
  • Maria Ligia de Arruda Mestieri
Rótulo Ovário, roedores, flanco, minimamente, invasiva

Resumo

O acesso ovariano em roedores é amplamente utilizado em estudos da área de reprodução e geralmente é obtido por meio da exposição cirúrgica dos órgãos. Os acessos ovarianos cirúrgicos mais utilizados em ratas são a celiotomia mediana e a celiotomia paracostal bilateral. O acesso paracostal reduz a necessidade de manipulação no trato gastrointestinal do animal, sendo a opção mais recomendada em protocolos experimentais. No entanto, se tratando de pesquisas com grande número de animais experimentais, ainda se busca um método prático, rápido e eficaz para a exposição ovariana. Assim, o objetivo deste resumo é relatar a eficiência do acesso paracostal unilateral (esquerdo) para acesso de ambos os ovários de ratas. O estudo foi aprovado pelo CEUA UNIPAMPA sob protocolo 025/2019. Foram incluídas oito ratas Wistar hígidas com 60 dias de idade e pesando 200 gramas. Os animais foram submetidos ao protocolo de indução e manutenção anestésica com inalação de isoflurano. Posteriormente, preparados para cirurgia com a realização de tricotomia ampla na região do flanco esquerdo, posicionamento em decúbito lateral direito, antissepsia local e colocação de campos estéreis. Para localização do ovário esquerdo, o rim esquerdo era identificado digitalmente como referência anatômica inicial. Quando o ovário era localizado através da palpação digital, caudalmente ao rim, realizava-se a incisão dorsolateral (paralela à última costela), de aproximadamente um centímetro para acesso e exposição do órgão. Em sequência, os cornos uterinos eram identificados, expostos e seguidos até permitir o acesso ao o ovário direito (contralateral). Após reposicionamento dos órgãos, realizava-se sutura contínua de todos os planos musculares em conjunto e na pele. Os animais receberam a injeção de tramadol (10mg/kg) por via subcutânea como analgesia durante o transoperatório. O tempo médio dos procedimentos (acesso, identificação/exposição dos órgãos, reposicionamento e síntese) foi de sete minutos, demonstrando ser uma técnica rápida, de fácil aprendizado e padronização, com menor requerimento de manutenção anestésica. A técnica utilizada foi capaz de propiciar a localização e exposição de ambos os ovários, mesmo sendo realizada uma única incisão no flanco esquerdo. Além disso, todos os animais demonstraram boa recuperação pós-operatória imediata. Embora estudos prévios tenham demonstrado que a técnica de incisão dorsal única com incisão de três centímetros demandaria maior tempo cirúrgico, no presente trabalho, a incisão realizada foi menor (1cm), não atrapalhando a efetividade do acesso. Assim, o acesso paracostal esquerdo foi eficaz para exposição de ambos os ovários de ratas, propiciando um menor tempo cirúrgico e sem demonstrar maiores complicações. Essa técnica deve ser encorajada e difundida para uso em protocolos experimentais envolvendo ratas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
COLLA, A.; CAROLINE AIRES SILVEIRA, V.; MALDONADO GOMES, E.; TERESA DE OLIVEIRA, M.; LIGIA DE ARRUDA MESTIERI, M. ACESSO PARACOSTAL UNILATERAL AOS OVÁRIOS DE RATAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.