A IDENTIDADE NEGRA E O SAGRADO

  • Mariele Cogoy
  • Mariele Pires Cogoy / Paulo Cesar Garcia
Rótulo Identidade, Dogmas, Conclusão

Resumo

A Identidade negra e o Sagrado Este trabalho foi realizado por alunos do curso de Letras-Línguas Adicionais do Campus Bagé - RS, na disciplina de Estudos Afro americanos, com o objetivo de investigar o grau de conhecimento e percepção da formação da identidade negra bageense frente aos tradicionais moldes e dogmas cristãos, diante da constantemente reproduzida figura do Deus renascentista e seu filho o Messias salvador luso brasileiro, consagrado em aportes sagrados e severos em suas formas de apresentação. Tal pesquisa utilizou abordagem qualitativa- quantitativa com alunos da Totalidade 2,3 e 4 da EJA, na rede pública de Bagé- RS. E conjuntamente trabalhar o in put identitário da pessoa auto identificada ou não, como Negra, de maneira lúdica, que provoque o interesse dos alunos, assim como exercitar sua audição, leitura e oralidade, já que a língua utilizada foi o Espanhol. Neste intento, assim o foi apresentado: à razão das Sagradas Escrituras reza a crença cristã que Belchior, um dos reis magos, era negro e os outros dois, brancos. Todos porém, sem exceção, foram salvos da fúria assassina do rei Herodes , já que "todos os homens independente da cor, são iguais na natureza e ainda mais iguais na fé . A metodologia utilizada como foco foi a abordagem comunicativa, utilizando como ferramenta um texto informativo visual (vídeo). Isso se deveu ao fato de que tínhamos restritas aulas para aplicar nosso trabalho e extrairmos o resultado. Para concluirmos nossa pesquisa pedimos aos alunos e a professora que respondessem ao nosso questionário, de forma individual, em uma folha impressa. O qual foi realizado dentro do período de tempo estipulado. Em princípio , optamos pela utilização de vídeo produzido e subtitulado na língua- alvo (espanhol), o qual mostrou-se muito eficaz ao nosso propósito, pois percebemos que, ainda que, em uma conversa posterior aos alunos não lhes foi possível identificar in loco este feito, para nós foi clara a percepção de que os mesmos já interiorizaram partes dos dogmas identitários presentes no vídeo. Ainda assim os resultados obtidos foram que, dogmas não escondem o ponto crucial e doloroso ;que sob pretextos diversos, a igreja e seus representantes terrenos permitiram e em certos momentos até incentivaram : a escravização do ser humano negro. Ainda que, logicamente, seja passível de contestações, percebeu-se que além do claro tópico sensitivo à dor, também a professora e os alunos não percebem o caráter de uma sociedade onde homens criados pelo mesmo Deus pai, salvos pelo mesmo Deus filho repartiam-se entre senhores e escravizados! O papel do professor , neste caso, deve ultrapassar a de um mero mediador, mas tornar-se um guia para seus alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
COGOY, M.; PIRES COGOY / PAULO CESAR GARCIA, M. A IDENTIDADE NEGRA E O SAGRADO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.