COMIDA À MESA. E AGORA? PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS DOS ESTUDANTES DE GASTRONOMIA DO IFFAR /SÃO BORJA

  • Artenio Rabuske
  • Valéria Pinheiro Braccini
  • Thiane Helena Bastos
  • Janaina Balk Brandao
  • Andreia Cristina Dorr
Rótulo Alimentação, Gastronomia, Turismo, Regional, Mercado, Trabalho

Resumo

Alimentar-se é um ato político e é entendido como uma ação que possibilita a observação ampla e a compreensão da alteridade (Castro et al, 2016). As relações do ser humano com a alimentação, com a evolução das técnicas culinárias, além de manutenção estruturais e biológicas, estão relacionadas à experiências de prazer. Segundo WERDINI et.al. (2014), a Gastronomia passou por uma transformação sociológica e antropológica no contexto brasileiro. A mídia brasileira tem ofertado inúmeros programas de culinária. Segundo o Kantar IBOPE Media, 47 programas de realities shows culinários foram transmitidos pela TV brasileira entre janeiro e julho de 2017 (Folha de São Paulo, 2018) e conforme ROCHA (2015), o interesse da população brasileira pelas artes culinárias coincide com a expansão na oferta de cursos superiores de Gastronomia no país. Este trabalho tem por objetivo analisar as expectativas profissionais dos estudantes de gastronomia do Instituto Federal Farroupilha do município de São Borja/RS. Para tanto, a amostra de 34 alunos dos semestres vigentes foi obtida por meio de um questionário composto por 19 questões de múltipla escolha, no mês de novembro de 2018.Os resultados encontrados apontam que 41,2% alunos entrevistados não possuem expectativas em serem promovidos e 32,4% acreditam que apesar da profissionalização, não obterão aumento de remuneração na função atual que exerce. Entretanto 44,1% pretende procurar emprego na área de Gastronomia e 55,9% pretende empreender na área e 50% pretende dar continuidade aos estudos na área gastronômica, o que reflete o interesse de inserção no mercado bem como o crescimento econômico que a Gastronomia vem ocupando atualmente. O interesse demostrado pelos entrevistados em permanecer atuando na área gastronômica é reflexo de movimentos representativos pela valorização da gastronomia brasileira, o que corrobora com as reflexões de (Castro et al, 2016) que concluem que tais movimentos reafirmam a gastronomia tanto regional como nacional ou internacionalmente. Com o desenvolvimento do turismo rural e sabendo que um destino turístico está diretamente relacionado à gastronomia é interessante observar a possibilidade de inserção de um profissional da gastronomia neste mercado. A pesquisa sobre a gastronomia regional no turismo rural da metade sul do Rio Grande do Sul realizada por com Pinto et al, (2017), confirma que os principais pratos bem como as iguarias tradicionais, características da cultural regional, não estão sendo disponibilizados pelos empreendimentos turísticos, uma vez que a responsabilidade pela organização dos cardápios oferecidos nas estâncias é dos proprietários, o que revela a insuficiência apontada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
RABUSKE, A.; PINHEIRO BRACCINI, V.; HELENA BASTOS, T.; BALK BRANDAO, J.; CRISTINA DORR, A. COMIDA À MESA. E AGORA? PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS DOS ESTUDANTES DE GASTRONOMIA DO IFFAR /SÃO BORJA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.