AS DIFERENTES VISÕES DO DESENVOLVIMENTO DA AUTONOMIA NO AMBIENTE ACADÊMICO

  • Iago Borba
  • Nádia Carolina Chrispim dos Santos
  • Wendy Fattah
  • Gabriela Bohlmann Duarte
Rótulo Autonomia, Desenvolvimento, Professores, Alunos

Resumo

A autonomia é uma questão de atitude perante a aprendizagem. Tal atitude refere-se a ser responsável pelo próprio processo de aprendizagem, de modo que o aluno está envolvido na tomada de decisões necessárias para que esse processo ocorra (LITTLE, 1991). No ambiente acadêmico, um estudante autônomo geralmente precisa da orientação de professores para que sua experiência não seja em vão; sendo assim, um aluno autônomo necessita aprimorar seu conhecimento acerca das alternativas disponíveis para que tal característica possa ser exercida plenamente a fim de que o indivíduo exerça seu direito de ser livre e de fazer escolhas. Tendo uma noção de como a autonomia poderia ser benéfica para os processos de aprendizagem no ambiente acadêmico exercidos pelos alunos e professores, chamo atenção de vocês para a seguinte pesquisa, cujo objetivo é comparar e discutir as concepções de autonomia entre os discentes e docentes do Curso de Licenciatura em Letras Línguas Adicionais Inglês, Espanhol e suas respectivas literaturas (UNIPAMPA). A comparação de dados foi desenvolvida a partir de duas pesquisas feitas de diferentes maneiras; a primeira que tinha o intuito de procurar e analisar se os docentes conseguiam instigar a autonomia em seus discentes; a segunda pesquisa, buscava entender se os alunos do curso de Línguas Adicionais eram autônomos e como utilizavam sua autonomia. A coleta dos dados foi feita por meio de duas perguntas relacionadas à autonomia do aluno e ao entendimento do significado da própria palavra. para a grande maioria dos docentes, ser autônomo é ser independente. Esta resposta, de certa maneira, condizia com a resposta que os alunos deram em relação à mesma pergunta. A maioria respondeu que autonomia era também ser independente, o que vai ao encontro com o pensamento dos professores. Apesar das respostas dos professores e alunos serem parecidas na primeira pergunta, na segunda pergunta feita a eles as respostas foram de contraponto umas das outras. Para os professores, foi perguntado se eles acreditavam que seus alunos eram autônomos, grande parte dos entrevistados assumiram que somente uma metade dos alunos em uma sala de aula poderia ser considerada autônoma. Quando questionado aos alunos se eles se consideravam autônomos, um alto número respondeu que sim, porém necessitavam de mais motivação para fazê-lo. As duas respostas indicam que há uma divergência de pensamento. Em conclusão, é possível perceber que os dois grupos têm a noção que a autonomia é uma característica que pode ser libertadora e possivelmente que encoraja a independência de um sujeito. Porém, há a divergência de que uma das partes não estaria trabalhando o suficiente o poder que a autonomia possui. Já que para os professores, muitos dos alunos não possuem tal característica e o mesmo não ocorre a os olhos dos discentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
BORBA, I.; CAROLINA CHRISPIM DOS SANTOS, N.; FATTAH, W.; BOHLMANN DUARTE, G. AS DIFERENTES VISÕES DO DESENVOLVIMENTO DA AUTONOMIA NO AMBIENTE ACADÊMICO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.