PRÁTICAS MÚSICO-EDUCATIVAS DE PARTICIPANTES DOS GRUPOS MUSICAIS DA FAZENDA ESPERANÇA, DE BAGÉ/RS

  • Jéferson Ramires
  • Lucia Helena Pereira Teixeira
Rótulo Dependência, química, música, Práticas, músico-educativas, Centros, Terapêuticos

Resumo

Apresentação oral PRÁTICAS MÚSICO-EDUCATIVAS DE PARTICIPANTES DOS GRUPOS MUSICAIS DA FAZENDA ESPERANÇA, DE BAGÉ/RS RESUMO Estando prestes a obter o título de licenciado em música, depois de ter vivido tempos difíceis na luta contra a dependência química e ciente de que, no meu caso, a música foi imprescindível para o controle do vício, decidi, para o TCC junto ao Curso de Música Licenciatura da UNIPAMPA, buscar compreender as práticas músico-educativas de participantes de grupos musicais de um centro de recuperação de dependentes químicos da cidade de Bagé/RS. Outro motivo relevante para a escolha do tema é a escassaprodução científica com temáticas referentes à música e drogadição. Weichselbaum e Nunes (2016), em sua pesquisa, buscaram compreender e levantar como a educação musical, oportunizada em projetos sociais, contribuiu com ações, melhorias e novas perspectivas para a vida de jovens. Compreender os benefícios que a música proporciona nestes contextos é um tema muito pertinente à minha pesquisa. Assim, a investigação tem como objetivo geral, compreender as práticas músico-educativas de participantes dos grupos musicais do centro terapêutico Fazenda Esperança, de Bagé/RS. Como objetivos específicos, busca: 1) revelar os motivos para a criação de grupos musicais na Fazenda Esperança; 2) conhecer como os internos escolhem os grupos musicais dos quais participam; 3) investigar as formas de ensino e aprendizagem musicais que ocorrem nos grupos; 4) analisar os impactos do envolvimento com as práticas musicais na trajetória de recuperação dos residentes. A investigação tem uma abordagem qualitativa, cujo objetivo é trabalhar com os dados a partir da realidade abordada (ESTEBAN, 2010). Para a coleta de dados foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com seis residentes do centro terapêutico participantes dos grupos musicais da instituição. Os participantes entrevistados afirmam terem aprendido música ou aprimorado seus conhecimentos dentro da Fazenda Esperança. Segundo eles, o ensino e aprendizagem não ocorrem de forma sistemática, e sim através da troca de informações (aprendizagem por meio das interações musicais). Segundo um dos residentes, ao mesmo tempo em que se aprende se ensina. Outro entrevistado relata que o motivo principal para a conclusão do seu tratamento foi participar dos grupos musicais. Ao final da pesquisa espero trazer contribuições para a educação musical no que diz respeito ao contexto estudado centros de recuperação terapêutica e práticas músico-educativas. Palavras-chave: Dependência química e música, Práticas músico-educativas em Centros Terapêuticos. ESTEBAN, Sandim Maria Paz. Pesquisa Qualitativa em Educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMG, 2010. WEICHSELBAUM, Anete Susana; NUNES, Pámela Lopes. Contribuições do Ensino da Música em Projetos Sociais: Depoimentos de Egressos. In: ENCONTRO REGIONAL SUL DA ABEM, XXVll. 2016, Curitiba. Anais... Curitiba: 2016.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
RAMIRES, J.; HELENA PEREIRA TEIXEIRA, L. PRÁTICAS MÚSICO-EDUCATIVAS DE PARTICIPANTES DOS GRUPOS MUSICAIS DA FAZENDA ESPERANÇA, DE BAGÉ/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.