COMPARAÇÃO DA RESISTÊNCIA DO CONCRETO COM VARIAÇÃO DO AGREGADO GRAÚDO A PARTIR DO ENSAIO ESCLEROMÉTRICO

  • Karina Comparsi
  • Luis Eduardo Kosteski
Rótulo Esclerômetro, reflexão, 1, Resistência, à, compressão, 2, Distribuição, espacial, 3, Concreto, 4

Resumo

As estruturas de concreto devem ser examinadas afim de constatar se o concreto utilizado está atendendo as especificações de projeto. Evangelista (2002) afirma que essa inspeção é feita usualmente com corpos de prova cilíndricos, rompendo-os à compressão. Entretanto, esses ensaios não representam de maneira fidedigna o concreto existente na estrutura, devido às diferentes condições de lançamento, compactação e cura (MACHADO, 2005). Assim, a utilização dos ensaios não destrutivos se torna uma alternativa pois, conforme Samaniego (2014), são de fácil execução, produzem resultados rápidos e, principalmente, não causam danos que comprometam o desempenho da estrutura durante a execução do teste. Na presente pesquisa, utilizou-se o ensaio do esclerômetro de reflexão, que tem por objetivo verificar a dureza superficial do concreto. O ponto de estudo é o fato de o concreto apresentar características heterogêneas em uma ampla gama de escalas de comprimento. Essa heterogeneidade em multiescala afeta o desempenho mecânico da estrutura, como rigidez e resistência, e a sua degradação, danos, fraturas e falhas (CONSTANTINIDES; ULM; VLIET, 2003). A partir dos pontos de aplicação do esclerômetro, será possível obter uma visualização dessa heterogeneidade. Os objetivos da pesquisa consistem em verificar a distribuição espacial da resistência e dureza superficial de uma estrutura de concreto, comparar os valores da resistência à compressão encontrados a partir do ensaio esclerométrico com a resistência encontrada pelo rompimento de corpos cilíndricos e identificar a influência da variação da dimensão do agregado graúdo esses resultados. Para a realização do estudo foi utilizado um traço em duas misturas de concreto para confecção dos corpos de prova, uma utilizando um agregado graúdo com dimensão máxima de 12,5 mm e a outra com agregado de 25 mm. A detecção da dureza superficial é feita pelo ensaio do esclerômetro de reflexão, sendo aplicados os pontos de ressaltos com uma proximidade de até 10 mm. A partir do índice esclerométrico é feita uma correlação com a resistência à compressão, baseada nas equações de correlação desenvolvidas em pesquisas anteriores, constatando-se um valor semelhante nas comparações de resistências encontradas a partir dessa correlação com os valores obtidos pelo ensaio destrutivo. Para ambas as situações foi encontrado uma resistência na ordem de 40 MPa. No que se refere a distribuição espacial, no traço da brita de menor dimensão se percebeu uma menor variação dos resultados quando comparados aos da brita com maior granulometria. Constatou-se finalmente que a dimensão do agregado não interfere significativamente no valor da resistência final, porém tem efeito na distribuição espacial da dureza superficial, pois o agregado de maior granulometria causa uma maior variabilidade do que o agregado de menor dimensão, já que esse último por ter passado pelo processo de diminuição dos grãos acaba tendo uma redução de defeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
COMPARSI, K.; EDUARDO KOSTESKI, L. COMPARAÇÃO DA RESISTÊNCIA DO CONCRETO COM VARIAÇÃO DO AGREGADO GRAÚDO A PARTIR DO ENSAIO ESCLEROMÉTRICO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.