AVALIAÇÃO DO USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EM CONSTRUÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAQUI-RS

  • Rubens Meichtry
  • Leticia de Souza Cassimiro Lima
  • Simone Dornelles Venquiaruto
Rótulo conscientização, segurança, trabalho, utilização, EPIs

Resumo

De acordo com o Anuário Estatístico de Acidentes de Trabalho (AEAT) (1) no ano de 2017, 30.025 trabalhadores sofreram alguma espécie de acidente de trabalho em Obras, equivalente a 5,46% de todos os casos registrados. A fim de minimizar os riscos suscetíveis de acidentes de trabalho e assegurar a saúde e proteção dos operários nos Canteiros de Obras, faz-se necessário uma avaliação do emprego de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) mediante as análises quantitativa e qualitativa. Os levantamentos de dados possibilitam a realização de um diagnóstico preciso da situação dos Canteiros de Obras e podem auxiliar no planejamento de medidas protetivas eficientes. O presente trabalho foi conduzido em dois Canteiros de Obras de pequeno porte no município de Itaqui-RS, e como instrumento de coleta de dados foi aplicado um questionário a um público alvo de vinte operários da construção civil. Foram abordados assuntos relacionados a três assuntos distintos: EPIs (fornecimento e utilização), treinamento (quanto ao uso de EPIs) e acidentes de trabalho. Os dados da pesquisa mostraram que 90% dos entrevistados afirmaram que o empregador fornece os equipamentos necessários como previstos na Norma Regulamentadora (NR) 6 (2), assim como, receberam o treinamento sobre o uso adequado dos mesmos, conforme a NR 18 (3). Com relação a utilização dos EPIs, o capacete de segurança e o calçado fechado são os EPIs utilizados com maior frequência pelos empregados (100%), seguidos pelos equipamentos óculos de segurança e luvas de raspa (50%), abafador de ruídos (40%), cinto de segurança (30%) e máscara filtradora (25%). A variação dos resultados é justificada pela função exercida por cada um dos entrevistados, uma vez que em determinadas atividades não necessitam da utilização de alguns dos equipamentos de segurança. Quanto aos incômodos ocasionados pela utilização dos EPIs, 70% dos entrevistados relataram que alguns equipamentos como o capacete de segurança, óculos de segurança e abafador de ruído causam certo desconforto e 30% declararam não sentirem nenhum desconforto significativo. Com relação aos acidentes de trabalho, 10% dos entrevistados informaram já terem sofrido algum tipo de acidente no ambiente laboral. Os dados desse estudo permitem concluir que nos Canteiros de Obras investigados a promoção e a proteção da saúde e da segurança do trabalhador apresentaram resultados satisfatórios. Foi observado que em ambas as Obras existe um comprometimento mútuo - entre patrão e empregado - pela preservação da integridade física e do bem-estar no ambiente laboral.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
MEICHTRY, R.; DE SOUZA CASSIMIRO LIMA, L.; DORNELLES VENQUIARUTO, S. AVALIAÇÃO DO USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EM CONSTRUÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAQUI-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.