ÍNDICE DE ATIVIDADE POZOLÂNICA DA SÍLICA DE CASCA DE ARROZ EM DIFERENTES TEMPOS DE MOAGEM

  • Leonardo Mendonça
  • Felipe Eduardo Külzer
  • Guilherme Durigon Cocco
  • Rosieli Ribeiro Jardim
  • Gean Oldra
  • Ederli Marangon
Rótulo 1, Índice, atividade, pozolânica, 2, Tempos, moagem, 3, Sílica, casca, arroz

Resumo

Introdução: A casca da planta Oryza Sativa (arroz) quando queimada em temperatura controlada e moída adequadamente deixa de ser um resíduo e passa a ser um material com potencial de uso na construção civil. A moagem é um fator preponderante na qualidade da sílica, sendo que necessita-se de um equilíbrio entre o custo de moagem e o desempenho do material quanto a atividade pozolânica. Objetivo: Avaliar o índice de atividade pozolânica por dois métodos, NBR5752 e NBR15895, a pozolanicidade de sílicas moídas em diferentes tempos e compará-las entre si quanto ao seu desempenho. Metodologia: Visando alcançar os objetivos propostos do trabalho, foram analisados 5 traços de argamassas, dentre estes, um traço contendo apenas cimento Portland CP II-F que foi tomado como referência, e para os demais traços foi realizada a substituição de 25% de cimento Portland (NBR5752), em massa, por 4 diferentes sílicas obtidas em diferentes tempos de moagem. As amostras foram divididas em A, B, C e D, sendo o A o menor tempo de moagem e D o maior. Essa nomenclatura é utilizada, para não expor os dados da empresa que forneceu o material. A fim de manter a consistência padrão para uma mesma relação água/aglomerante, acrescentou-se aditivo químico superplastificante (SP) em diferentes dosagens de acordo com a composição utilizada, para manter o índice de consistência padrão de (230±5mm) e atender aos requisitos da norma utilizada. Para o método do Chapelle foi determinado para cada uma das amostras, A, B, C e D o teor de Hidróxido de Cálcio (Ca(OH)2) fixado por grama de sílica na condição amorfa. Quanto maior o valor de fixação mais elevado é o índice de atividade pozolânica. Resultados e Discussão: Segundo a NBR 12653 o IAP deve ser maior ou igual a 75%. Os resultados desse ensaio indicaram que todas as misturas analisadas apresentaram IAP maiores que o valor mínimo. As diferenças entre o melhor IAP, obtido pela amostra D e o pior índice (amostra B) foi de 9%. Porém, para o menor tempo de moagem, amostra A, a diferença foi de 6,5%, indicando que essa amostra é a mais eficiente em termos de custo e benefício. No que tange os ensaios de Chapelle, a amostra que apresentou maior teor de fixação do Ca(OH)2 foi a amostra C. A diferença entre a amostra C e o pior teor de fixação (amostra A) foi de 6,2%. Os valores obtidos variaram de 823,67 Ca(OH)2 a 877,96 Ca(OH)2, sendo a variação pouco representativa, indicando mais uma vez que o melhor custo benefício é apresentado pela amostra A. Conclusão: As amostras analisadas para os diferentes tempos de moagem indicam que a amostra com o menor tempo de moagem (amostra A) possui o melhor custo benefício. Nos termos na NBR 12653, os IAPs, apresentaram para todas amostras estudadas índices acima de 75%, sendo este o valor mínimo especificado na norma. Em relação aos índices obtidos pela norma NBR 15895, os valores obtidos variaram de 823,67 Ca(OH)2 a 877,96 Ca(OH)2, sendo a variação pouco representativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
MENDONÇA, L.; EDUARDO KÜLZER, F.; DURIGON COCCO, G.; RIBEIRO JARDIM, R.; OLDRA, G.; MARANGON, E. ÍNDICE DE ATIVIDADE POZOLÂNICA DA SÍLICA DE CASCA DE ARROZ EM DIFERENTES TEMPOS DE MOAGEM. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.