QUALIDADE DE ÁGUA: PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS E MICROBIOLÓGICOS NA SANGA DA BRANDINA

  • Daniela Mota
  • Ana Carolina Dornelles
  • Andressa Campos
  • Juliane Santacatarina
  • Maria Amelia Zazycki
Rótulo CONAMA, Corpo, Hídrico, IQA

Resumo

No Brasil, a poluição dos corpos hídricos é regida pela Resolução nº 357, de 17 de março de 2005 do CONAMA que dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e o Índice de qualidade de água (IQA), criado nos EUA em 1975 pela National Sanitation Foundation Institution (NSF). A determinação de índices (como exemplo o WQI Water Quality Index) para caracterizar a qualidade dos mananciais, tanto superficiais quanto subterrâneos, tem como função principal facilitar a comunicação com o público. Baseado no contexto mencionado, o objetivo do trabalho é avaliar a qualidade da água da Sanga da Brandina na cidade de Caçapava do Sul, RS Brasil. Por meio da aplicação do IQA, foram analisados nove parâmetros (temperatura, pH, DBO, sólidos totais, turbidez, fosfato, nitrogênio total, coliformes totais e oxigênio dissolvido), sendo esses indicadores de contaminação causados por diversas fontes (como doméstica e industrial), e a partir das informações obtidas, enquadrá-los nas categorias de qualidade da água. As amostras foram coletados em dois pontos distintos com coordenadas geográficas 30º311.64S, 53º301.01O e 30º3058.84S, 53º303.92O, respectivamente para o ponto 1 e 2. No local, realizou-se a medição nos dois pontos, do potencial hidrogeniônico (pH), este com o auxílio das fitas de pH (em laboratório foi medido novamente com o pHmetro), e da temperatura com um termômetro de mercúrio. Logo após foram enviadas ao laboratório da UNIPAMPA onde foram realizadas as demais análises. Os valores do IQA variam de 0 a 100, para o estado do Rio Grande do Sul, 100 ≥ IQA ≥ 91 ótima, 90 > IQA ≥ 71 boa, 70 > IQA ≥ 51 razoável, 50 > IQA ≥ 26 ruim e 25 > IQA ≥ 0 péssima (ANA,2014). Os valores do pH ( 7,5 e 6,75), OD (0,15 em ambos), o padrão de 10mg/L para o nitrogênio total e coliformes termotolerantes estiveram dentro do padrão estabelecido de 200 UFC/100 mL, para os ponto 1 e 2, respectivamente, estão dentro dos valores estabelecidos pela CONAMA. Os valores de turbidez estiveram abaixo do padrão de 100 UFT, o fósforo total apresentou concentrações superiores a 0,050 mg/L, DBO 5 dias a 20 °C também obteve-se valor superior a norma, em ambos os pontos foi maior do que 5mg/L O2. Os valores de IQA nos pontos 1e 2 foram bem próximos: 35,8 e 32,7 respectivamente. Sendo assim, a qualidade da água da Sanga da Brandina, foi classificada como sendo de qualidade ruim. Dentre os parâmetros avaliados, a DBO e o fósforo total ficaram acima dos limites previstos na resolução CONAMA 357/2005.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
MOTA, D.; CAROLINA DORNELLES, A.; CAMPOS, A.; SANTACATARINA, J.; AMELIA ZAZYCKI, M. QUALIDADE DE ÁGUA: PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS E MICROBIOLÓGICOS NA SANGA DA BRANDINA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.