ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DE CASCAS DE UVA EM LEITO FIXO

  • Jessica Ayres
  • Thaís Madeira
  • Ana Paula Castro
  • Gabriela Silveira Da Rosa
Rótulo casca, uva, secagem, leito, fixo

Resumo

Diante da rica composição visualizada em resíduos oriundos do processamento de uvas e a preocupação com o meio ambiente, a busca por maneiras de reaproveitar ou recuperar produtos de alto valor agregado a partir do material vegetal deste tipo de resíduo aumentou significativamente ao longo dos anos. Atualmente, as cascas da uva, que compõem cerca de 82% do bagaço, vêm sendo utilizadas para obtenção de ingredientes funcionais, tais como antioxidantes naturais e suplementos alimentares. Estudos e análises de curvas de secagem e determinação do teor de água permitem entender e visualizar melhor o processo de secagem, bem como escolher o procedimento, o tratamento, o equipamento e a temperatura adequada para se realizar a desidratação de derivados de frutas. O objetivo deste trabalho foi determinar as características de secagem de cascas de uva em secador com ar aquecido, além de caracterizar a amostra antes e após o experimento quanto ao teor de umidade, determinar as propriedades do ar de secagem e determinar o coeficiente de difusão efetiva. Os experimentos foram conduzidos a 80ºC, com a velocidade do ar de secagem de 2,0 m.s‑1 em secador de leito fixo. Foi possível observar que há um período de secagem a taxa constante durante o início do procedimento, e posteriormente uma redução nos teores de umidade a taxa decrescente. Após a caracterização das amostras com relação ao conteúdo de umidade, verificou-se que amostra in natura apresentou umidade de 83,25%, e reduziu o teor para 10,16% após o procedimento de secagem. O percentual de umidade indica que a casca de uva seca nas condições deste experimento pode ser utilizada, de acordo com a legislação, para a fabricação de farinhas. A umidade relativa do ar de aquecimento após atingir a temperatura de 80ºC foi de 4,82%, mostrando potencial do mesmo para a retirada da umidade das cascas. Por fim, a difusividade efetiva da amostra foi de 5,032x10-7m².s-1

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
AYRES, J.; MADEIRA, T.; PAULA CASTRO, A.; SILVEIRA DA ROSA, G. ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DE CASCAS DE UVA EM LEITO FIXO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.