ESTUDO TERMODINÂMICO DE ADSORÇÃO DO DICLOFENACO DE SÓDIO UTILIZANDO O BIOSSORVENTE DE CELULOSE

  • Mariele da Silva
  • William Leonardo da Silva
Rótulo Adsorção, Biossorção, Fármacos, Biopolímero

Resumo

Atualmente, existe um consumo elevado de fármacos de diferentes classes, como analgésicos, antiflamatórios, antibióticos, antidepressivos e drogas contraceptivas, em virtude do fácil acesso a esses e da automedicação. Além disso, esses compostos são parcialmente metabolizados e excretados pelo organismo, que em muitos casos como subprodutos com alto teor de toxicidade, sendo direcionados para as Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs). Assim, os processos convencionais de tratamento são incapazes de eliminar completamente esses, necessitando a utilização de tecnologias avançadas de tratamento para remoção correta desses fármacos, como a adsorção. Assim, o presente trabalho objetiva-se em avaliar a capacidade de remoção do diclofenaco de sódio em solução aquosa utilizando o biopolímero de celulose (in natura e funcionalizado com FeCl3), através de um estudo termodinâmico. O biopolímero de celulose foi extraído utilizando 50 gramas de folha branqueada em 1000 mL de água destilada por 24 horas, seguido da trituração do material com a água. Assim, a celulignina obtida foi deslignificada com uma solução de NaOH 1% por 12 horas, obtendo-se a polpa bruta. Por fim, essa foi seca em uma estufa à 50 ºC por 12 horas, durante 5 dias. Além disso, o biossorvente de celulose foi caracterizado por porosimetria de nitrogênio (método BET/BJH), Espectroscopia no Infravermelho com Transformada de Fourier (FT-IR), potencial zeta (PZ) e difração de raios X (DRX), a fim de avaliar suas propriedades texturais e estruturais. Os resultados de caracterização indicaram características de um material mesoporo para os biossorventes (2 < Dp < 50 nm), com considerável área específica (206 m² g-1, celulose in natura e,304 m² g-1, para funcionalizada). Além disso, as amostras apresentaram carga negativa (-30,2 ± 1,90 mV), bem como a presença de fases amorfas e cristalinas e picos característicos, como 3600 e 3400 cm-1 atribuídos a frequência de estiramento O-H(O-H) e N-H(N-H), indicando a presença de grupos hidroxilas e, em 1635 cm-1, um pico que corresponde à deformação angular da molécula de água (HO-H) do material. Os ensaios de adsorção estão sendo realizado, inicialmente com uma solução aquosa de diclofenaco de sódio de 60 mg L-1), e 0,7 g L-1 do biopolímero, sob agitação magnética (150 rpm) por 180 minutos. Todas as alíquotas coletadas serão analisadas em um espectrofotômetro UV-Vis, no comprimento de onda 276 nm, característico do fármaco. Para o estudo termodinâmico, será escolhido três temperaturas (298 K, 308 K e 318 K), estimando os parâmetros termodinâmicos de energia de Gibbs (ΔG), entalpia (ΔH) e entropia (ΔS) do processo, bem como avaliação dos os modelos das isotermas de Langmuir e Freundlich. Por conseguinte, com o presente estudo será possível analisar a capacidade de adsorção do diclofenaco de sódio utilizando um biossorvente de celulose, tornando uma alternativa para a remoção de fármacos presentes em águas residuárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DA SILVA, M.; LEONARDO DA SILVA, W. ESTUDO TERMODINÂMICO DE ADSORÇÃO DO DICLOFENACO DE SÓDIO UTILIZANDO O BIOSSORVENTE DE CELULOSE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.