APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS CONTÁBEIS EM UMA EMPRESA DO SETOR CALÇADISTA DE ALEGRETE

  • Carine Crixel
  • Darlen de Oliveira Almirão
  • Thiago Eliandro de Oliveira Gomes
Rótulo Análise, Financeira, Índices, Econômico-financeiros, Calçadista

Resumo

A contabilidade segue padrões de exigências tributárias e legais, principalmente, nas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, e o diferencial destas, é o fornecimento de serviço de qualidade, com um olhar atento às análises gerenciais e a interpretação correta dos relatórios que poderão fazer a diferença na tomada de decisões. Este trabalho justifica-se em razão da aplicação prática de ferramentas da contabilidade das quais contribuem para o conhecimento acerca da situação financeira de uma empresa do setor calçadista, que atua no comércio varejista, pouco referenciado na literatura. A pesquisa tem por objetivo, realizar um estudo sobre a análise financeira de uma instituição do segmento de calçados localizada na cidade de Alegrete, RS, a fim de avaliar o desempenho econômico-financeiros por meio de índices, referentes aos períodos de 2016 e 2017. A metodologia foi dividida em quatro etapas: estudo bibliográfico sobre as principais características das demonstrações realizadas; levantamento das informações extraídas das demonstrações contábeis; emprego das ferramentas da contabilidade gerencial e financeira; análise quantitativa e qualitativa dos dados e discussão dos resultados. A Análise Vertical mostrou que houve variação representativa do CMV de -6%, e despesas operacionais de -2%, em relação às vendas totais. Quanto a técnica de Análise Horizontal, houve redução da receita operacional bruta em 2017 em 2%, com redução dos impostos de 2%, e junto às demais contas com pequenas representatividades positivas, obteve por consequência, um Lucro Líquido do Exercício em 2017, de 11% em relação a 2016. Ao analisar os índices de Liquidez, observou-se que a empresa a curto e longo prazo, possui capacidade de pagamento e mantém um ativo líquido de R$ 1,84 disponível e realizável. Em relação ao grau de endividamento, foi evidenciado que não há no que se preocupar. A empresa tem baixa participação de capitais externos para quitar suas dívidas e, portanto, baixo endividamento, de 0,94% em 2016 e 0,92% em 2017. Considerando que a empresa gera lucro através das vendas, no tocante ao Giro do Ativo, houve um crescimento em 2016, resultando uma taxa de retorno de 1,04 e em 2017, um giro de 1,17 confirmado pela Margem Liquida. A Rentabilidade do Patrimônio Líquido aferiu o retorno obtido no investimento do capital social da empresa, por conseguinte, no ano de 2016 a Rentabilidade do PL, foi de 23%, com notável crescimento no ano de 2017 para 51%. Constatou-se que a empresa estudada possui desempenho econômico-financeiro satisfatório, refletido pelo índice de rentabilidade positivo. Logo, o estudo comprovou a necessidade do uso das técnicas de análise de balanço, permitindo uma avaliação adequada da sua real posição e evidenciando a utilização de um conjunto de técnicas, e a identificação dos pontos fracos e fortes da organização dos quais devam haver mudanças.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
CRIXEL, C.; DE OLIVEIRA ALMIRÃO, D.; ELIANDRO DE OLIVEIRA GOMES, T. APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS CONTÁBEIS EM UMA EMPRESA DO SETOR CALÇADISTA DE ALEGRETE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.