MODERNISMO NA CAMPANHA GAÚCHA: PATRIMÔNIO EDIFICADO EM BAGÉ

  • Rui Junior
  • Celma Paese
  • Carina Ebert Hamm Oliveira Bispo
  • Raquel Beck da Silva
Rótulo Modernismo, -, Preservação, Patrimônio, Projeto, Arquitetura, Campanha, Gaúcha

Resumo

O estudo busca analisar a residência Luiz Rodrigues Maia, um exemplar icônico da Arquitetura Modernista Gaúcha, de autoria dos arquitetos Lincoln Ganzo de Castro e Flávio Figueira Soares (formados pela Faculdade de Arquitetura da UFRGS e, posteriormente, docentes na mesma instituição), na cidade de Bagé-RS. O estudo da edificação, uma residência multifamiliar com um apartamento térreo e outros dois no pavimento superior, busca compreender a vertente Modernista na porção sul brasileira, e principalmente, analisar as influências que permearam a elaboração do projeto, em seus planos e elementos que compõem o desenho desta obra. São visualizadas referências ao Neoplasticismo, desde as características referenciais estéticas, como também da casa Gerrit Rietveld; da arquitetura de Frank Lloyd Wright (Usonian Houses e pesquisas continuum espacial) e pontos de horizontalidade e organicidade, como também uma conexão com a produção advinda de São Paulo e de seus contemporâneos, caracterizados pelo brutalismo da Escola Paulista. E ainda, é discutida de maneira concomitante, a temática de não se configurar como uma mera cópia ou réplica de movimento praticado em outras localidades, mas sim, como uma obra que realizou um diálogo com voz própria, fruto de uma releitura que propiciou uma linguagem singular. Embora o imóvel já possua algum mecanismo legal de proteção, foi fixado como edificação relevante (cor vermelha) no Mapa 18 Planta de Edificações Relevantes da Poligonal de Tombamento, Portaria SEDAC nº 62/2012 do IPHAE. Que teve como referência os dados do Dossiê de Tombamento do Conjunto Histórico e Paisagístico de Bagé realizado pelo IPHAN em 2009, que catalogou o imóvel como de grau de proteção C2: conservação intermediária imóveis de relevância histórica e arquitetônica [...]. Devem ser preservados externamente [...]. Levantamento este que foi recepcionado pelo executivo municipal, através do Decreto nº 42 de 2016. Há de se considerar uma possível ampliação de sua proteção, como forma de garantir a preservação deste autêntico exemplar Modernista na região da Campanha Gaúcha.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
JUNIOR, R.; PAESE, C.; EBERT HAMM OLIVEIRA BISPO, C.; BECK DA SILVA, R. MODERNISMO NA CAMPANHA GAÚCHA: PATRIMÔNIO EDIFICADO EM BAGÉ. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.