A PERCEPÇÃO DO RACISMO PELOS RESIDENTES EM URUGUAIANA-RS

  • Victor Peixoto
  • Dyulia Nardes Dalla Corte
  • Suzamar Gomes Cardinal
  • Carolina Toledo Rodrigues Gazolli
  • Grace Kelly Merigo
  • Juliana Lopes de Macedo
Rótulo Preconceito, racial, 1, Racismo, oculto, 2, Uruguaiana, 3, Cultura, Afro-Brasileira, 4

Resumo

i) Introdução: no Brasil, a imagem negativa quanto aos negros estabeleceu-se na colonização, onde uma relação baseada na superioridade branca sobre a negra se reflete até os dias de hoje. Recentemente, houve uma tentativa de mudar essa realidade discriminatória contudo, apesar desses esforços, percebe-se que houve apenas uma mudança de discurso que não se traduz em atitudes que diminuam preconceitos. Uruguaiana é formada não só por uma grande miscigenação cultural, como também pela forte expressão de traços tradicionalistas no cotidiano e nas relações interpessoais. Tendo em vista essa interação e considerando o desenvolvimento histórico do estado, o objetivo do trabalho é analisar as percepções do preconceito racial entre os membros dessa comunidade. ii) Material e métodos: trata-se de uma pesquisa qualitativa realizada através de entrevista não-diretiva e uso de imagens. Foram convidadas pessoas de forma intencional, que representassem a cultura negra e a branca, segundo a percepção dos pesquisadores. A entrevista contemplava informações sociodemográficas, percepções e experiências em relação ao racismo. Além disso, foi utilizada estratégias de complementação de sentenças e técnica pictórica, que buscavam identificar as representações sobre o racismo a partir da compreensão dos entrevistados de algumas imagens que poderiam evidenciar o racismo velado. Todas as entrevistas foram gravadas, com autorização verbal do entrevistado, transcritas e analisadas segundo a técnica de análise de conteúdo. iii) Resultados e discussão: Foram entrevistados 10 indivíduos e delimitado dois grupos distintos, um com 5 entrevistados autodeclarados pretos ou pardos e outro com 5 indivíduos autodeclarados brancos. Quanto ao preconceito, houve um posicionamento unânime de que ele está presente na sociedade, sendo que 9 entrevistados afirmaram ter sofrido algum tipo de preconceito ao longo da vida. Já quanto ao carnaval, um importante símbolo da cultura negra, houve discrepâncias nas respostas entre os dois grupos. No grupo de pretos e pardos, os entrevistados enfatizaram sua importância como ambiente de integração de pessoas de culturas diferentes e como fonte de renda para o município. No de brancos, três afirmaram não gostar. A utilização da técnica de complementação de sentenças e técnica pictórica possibilitou a identificação de traços sutis de preconceitos, tais como a ideia de que o melhor tipo de cabelo é o liso ou que uma pessoa negra em um carro é motorista, enquanto que uma branca é um profissional bem-sucedido. iv) Conclusão: a pesquisa revelou que os ambientes da cultura afro são meios de integração social, que proporcionam sentimento de pertencimento e ajudam a fortalecer os representantes dessa cultura em Uruguaiana. Além disso, pode ser observado, de maneira geral, um discurso politicamente correto sobre preconceito racial, mas que nas entrelinhas revelavam o racismo velado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
PEIXOTO, V.; NARDES DALLA CORTE, D.; GOMES CARDINAL, S.; TOLEDO RODRIGUES GAZOLLI, C.; KELLY MERIGO, G.; LOPES DE MACEDO, J. A PERCEPÇÃO DO RACISMO PELOS RESIDENTES EM URUGUAIANA-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.