ENSINO DE CIÊNCIAS: CONCEPÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

  • Marina Mathias
  • Marina Santanan Mathias
  • Gustavo Medeiros da Silva
  • Gabriel Medeiros da Silva
  • Jeferson Martins Balbueno
  • Maria Teresinha Verle Kaefer
Rótulo Aprendizagem, Concepções, Grupo, Focal, Sujeitos

Resumo

Este trabalho compõe uma das linhas de pesquisa do grupo de Emancipação sem Fronteiras: Formação Inicial e Continuada de Professores, do IFFar-São Borja. A Educação de Jovens e Adultos (EJA), tem se constituído como a modalidade de educação que traz declaradamente a luta por questões da equidade social, tem produzido um efeito nas ressignificações dos conteúdos escolares, trazendo à tona a importância das aprendizagens realizadas nos espaços vividos pelos sujeitos da EJA, já reconhecidos como sujeitos de conhecimento. Incorporado a essas aprendizagens, aparece o trabalho como princípio formador e humanizador destes homens e mulheres. Diante de sujeitos tão únicos em suas individualidades, o professor tem papel crucial tanto na formação acadêmica quanto no desenvolvimento da cidadania dos indivíduos. Portanto, professores da rede pública do município de São Borja, que atuam na EJA, foram convidados a participar da presente pesquisa, que tem por objetivo verificar as concepções teórico metodológicas dos professores da EJA, nas disciplinas que abrangem a área de Ciências: Matemática, Física, Química e Biologia. A presente pesquisa é de cunho qualitativo, tendo como método utilizado o do grupo focal. A técnica do grupo focal foi aplicada no dia 18/05/2019, com participação de 13 professores da rede pública que atuam na EJA. O encontro foi realizado na sede do IFFar-SB e o debate foi realizado a partir de perguntas elaboradas pelos pesquisadores, a fim de instigar a conversação. Os professores expressaram suas ideias livremente, sem intervenção. Toda a conversa foi gravada com o consentimento dos participantes. Após, as respostas foram esquematizadas e comparadas com propostas de autores da EJA, como Freire, Arroyo e Martins. Na fala dos educadores, percebeu-se questões como conflitos geracionais, conceitos próprios, por parte dos alunos, de cultura dentro da sala de EJA. Muitos expressaram que se fugirem um pouco do modelo bancário de ensino (FREIRE, 1987), os alunos perdem o interesse porque entendem que não é aula. Esse comportamento também leva os educandos a resistirem ao ato de pesquisar, como ferramenta de aprendizado, pois esperam sempre por uma aula expositiva por parte do educador. Com relação às metodologias adotadas por cada professor, possibilitando verificar que os fatores acima mencionados acabam por prejudicar a implementação do modelo Freireano, devido ao fato de haver dificuldade de implementar novos métodos de ensino e os educandos preferirem métodos conteudistas, expositivos e dialogados à métodos baseados em projetos, rede temática ou temas geradores, que demanda uma educação problematizadora, emancipatória e libertadora (FREIRE, 1987). Os obstáculos que se apresentam são partes de um conjunto de déficits que passam pelas questões culturais do conceito de escola, pela formação dos professores, pela concepção da modalidade de EJA tanto pelos discentes quanto pelos docentes, além de perpassar por questões econômicas e sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
MATHIAS, M.; SANTANAN MATHIAS, M.; MEDEIROS DA SILVA, G.; MEDEIROS DA SILVA, G.; MARTINS BALBUENO, J.; TERESINHA VERLE KAEFER, M. ENSINO DE CIÊNCIAS: CONCEPÇÕES TEÓRICO METODOLÓGICAS DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.