AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE DETERGENTES COMERCIAIS DE USO DOMÉSTICO

  • Julia Freitas
  • Julia R Freitas
  • Oswaldo Brancallion
  • Augusto G O Freitas
  • Caroline R Bender
Rótulo 1, Surfactante, 2, Detergente, 3, Micelização

Resumo

Surfactantes são compostos orgânicos anfifílicos que apresentam em sua molécula uma cabeça polar e uma cauda apolar. A cauda apolar é constituída, geralmente, de cadeias carbônicas, enquanto a cabeça polar apresenta cátions, ânions ou grupamentos polares neutros. Devido ao caráter anfifílico, as moléculas de surfactante possuem habilidade de agregação em solução, formando micelas. Em água, a cabeça polar interage com a água enquanto que a cauda apolar, se orienta para o interior da micela. Esses compostos são utilizados em produtos de limpeza industrial, cosméticos, amaciantes e detergentes (OLIVEIRA; CÁSSIA, 2017) . Adicionalmente, são um dos principais componentes dos detergentes utilizados em limpeza doméstica (cerca de 10% da composição). Apesar disso, observa-se que não há informações sobre a eficiência da ampla gama de detergentes comercializados, bem como, a quantidade dos componentes presentes na composição do produto não é indicada no rótulo. Em vista disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência de diferentes marcas de detergentes comercias (A, B, C e D) em relação a suas propriedades de micelização em solução. A metodologia baseou-se na obtenção de curvas de condutividade em função da concentração de detergente (FRIZZO et al., 2015) . O método de Carpena foi aplicado às curvas experimentais, para obtenção dos dados de concentração de micelização crítica (cmc) e a proporção de íons livres em solução (α) (CARPENA et al., 2002) . A partir dos valores de cmc, a Energia Livre de Gibbs do processo de micelização () foi obtida (ZANA, 1996) . A cmc representa a concentração a partir da qual as micelas começam a ser formadas e fornece informações sobre a habilidade de micelização do detergente, que é um requisito básico para promover a limpeza de utensílios e superfícies. Quanto menor o valor de cmc, maior tende ser a eficiência do detergente na remoção de sujeiras. Os valores de cmc encontrados para os detergentes A, B, C e D foram 3,13, 3,26, 3,48 e 5,07 g/L, respectivamente. Foi observado que o detergente D apresentou uma diferença significativa em relação à A, B e C, indicando que este necessita uma concentração maior para ocorrer a micelização. Os valores de variaram na faixa de -1,2 a -1,5 kJ/mol. Os valores negativos indicam que a micelização é um processo espontâneo. Não foram observadas diferenças significativas em relação aos valores das diferentes marcas. Em geral, quanto menor é o valor de α, maior é a tendência a agregação (menor cmc e menor ) (FRIZZO et al., 2015) . Nesse trabalho, os valores de α (0,62, 0,33, 0,54 e 0,40 para as marcas A, B, C e D) não apresentaram correlação com os valores de cmc e . Conclui-se que os detergentes A, B, e C apresentaram parâmetros de micelização semelhantes, indicando que estes devem possuir uma eficiência semelhante no processo de limpeza. O detergente D apresentou um valor de cmc maior e isto pode estar relacionado a comercialização de um detergente mais diluído.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
FREITAS, J.; R FREITAS, J.; BRANCALLION, O.; G O FREITAS, A.; R BENDER, C. AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE DETERGENTES COMERCIAIS DE USO DOMÉSTICO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.