ANALISE DE CONTAMINAÇÃO ATRAVÉS DO MÉTODO DA ELETRORRESISTIVIDADE NO CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL

  • Nicolas Hispagnol
  • Pablo Matos Soares
  • Ana Naujokat Tavares
  • Douglas Vinicius de Souza Oliveira
  • Lara Beatriz Moreira César de Carvalho Rocha
  • Marcus Vinicius Aparecido Gomes De Lima
Rótulo Geoelétrico, Eletrorresistividade, Plumas, contaminação

Resumo

Os métodos geoelétricos, em particular o da eletrorresistividade, são ferramentas poderosas em estudos voltados ao mapeamento de áreas contaminadas, principalmente devido ao contraste obtido entre as propriedades físicas do meio geológico e dos contaminantes resultantes da ação de bactérias, chorume, produtos químicos e outros. A aplicação bem-sucedida de métodos geoelétricos surge em resposta a crescente demanda por metodologias diagnósticas de baixo custo,e alta empregabilidade nos problemas de investigação e monitoramento ambiental de plumas de contaminação em águas subterrâneas e solos. O presente trabalho foi realizado nas dependências do campus de Caçapava do Sul da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) num local caracterizado por uma área de banhado (nível freático aflorante). O levantamento de dados consistiu de um arranjo geoelétrico disposto linearmente com extensão de 180 m e espaçamento de 5 m entre os eletrodos, atravessando perpendicularmente o alvo de estudo. Foi utilizado a técnica de caminhamento elétrico do tipo dipolo-dipolo, que consiste na realização de medidas de resistividade aparente ao longo de uma linha, com o objetivo de investigar possíveis variações laterais de resistividade elétrica em diferentes níveis de profundidade, no qual se caracteriza por utilizar um espaçamento igual entre os eletrodos MN (eletrodos de potencial) e AB (eletrodos de corrente), com deslocamento do centro de ambos os dipolos ao longo da linha. A partir destas medidas foi gerado um modelo que representa a distribuição de resistividade elétrica em termos da profundidade, resultante da inversão de dados do perfil geoelétrico. O ajuste final obtido da inversão de dados foi de 5%, que corresponde a uma medida do RMS entre as 495 observações realizadas e seus respectivos pontos modelados, representando um modelo alcançado de boa qualidade. Os dados revelaram a presença de uma região anômala com valores de baixa resistividade, localizada entre 16 e 34 m de profundidade com valores abaixo de 41 ohm.m, possuindo uma geometria aproximadamente retangular no qual poderiam indicar uma possível zona contaminada. Estes dados, juntamente com dados de outros experimentos (análise laboratorial de amostras de água), e suportados por valores de resistividade descritos na literatura, sugerem a presença de uma pluma de contaminação. Novos levantamentos na área de estudo serão realizados a fim de corroborar a interpretação do modelo geofísico de subsuperfície.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
HISPAGNOL, N.; MATOS SOARES, P.; NAUJOKAT TAVARES, A.; VINICIUS DE SOUZA OLIVEIRA, D.; BEATRIZ MOREIRA CÉSAR DE CARVALHO ROCHA, L.; VINICIUS APARECIDO GOMES DE LIMA, M. ANALISE DE CONTAMINAÇÃO ATRAVÉS DO MÉTODO DA ELETRORRESISTIVIDADE NO CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.