CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE DRENAGEM E BACIAS HIDROGRÁFICAS DE JARU-RO A PARTIR DE IMAGENS SRTM

  • Jady Alves
  • Enzo Augusto Schutz Maran
  • Jordana de Abreu Leme da Costa
  • Ariely Venacio Marques
  • Greisi Aline de Azeredo
  • Rui Sergio Saraiva Duarte Junior
Rótulo SRTM, Drenagem, Bacia, hidrográfica

Resumo

A partir dos dados de elevação do terreno adquiridos pela missão Shuttle Radar Topographic (SRTM), utilizando técnicas de geoprocessamento (SIG), foi gerada, de forma semiautomática, a rede de drenagem e as bacias hidrográficas referente ao município de Jaru no estado de Rondônia. Estabelecer um comparativo entre as feições hidrológicas da Folha SC. 20 Porto Velho carta hidrogeológica em escala 1:1.000.000 e Mapa físico do estado de Rondônia em escala 1:900.000 com dados extraídos a partir de imagens da missão SRTM, buscando avaliar a qualidade de informações oriundas desta última, este é objetivo deste trabalho. Justifica esta proposta a dificuldade de realização de novos levantamentos topográfico (de maior detalhe) nesta tão vasta área. A área do presente estudo está localizada entre os vértices com coordenadas 10.4325° S, 62.4733° W. As cartas topográficas utilizadas neste trabalho foram obtidas na CPRM e no IBGE, e as imagens SRTM foram extraídas do site USGS. Estas imagens foram processadas pelo software ARCGIS 10.5, onde foram configuradas na projeção UTM WGS84 Zona 20S e tratadas pelas ferramentas do pacote Spatial Analyst_Hidrology. Primeiramente, foi aplicado o filtro (Fill), foi verificada a direção do fluxo (Flow Direction) e o fluxo acumulado (Flow Accumulation). Após as bacias hidrográficas foram delimitadas através da função Basin (bacia), cada bacia teve sua ordem classificada, através da função Stream Order Straler foi aplicado um condicional (value > 5) para retirar o excesso de informações e melhorar a visualização. Por fim, a imagem raster foi convertida em Shapefile pela função Stream to Feature. As drenagens foram classificadas de acordo com o método de Lima (2002) e os resultados gerados foram comparados com a carta topográfica. Nesta comparação, foi verificado que, para este local, os dados extraídos de imagens SRTM possuem uma rede de drenagem mais densa, em especial no que se refere a canais de primeira ordem, de maneira geral, é observada certa similaridade entre as drenagens e bacias hidrográficas, porém os dados obtidos a partir das imagens SRTM apresentaram uma quantidade maior de informações, o que pode ser entendido como uma validação para o método semiautomático. As classificações das drenagens que se ramificam a partir do rio principal (meandrante) apresenta um padrão, que predomina retangular, porém, em alguns locais este se apresenta dendrítico e paralelo, possivelmente os padrões retangulares e paralelos se devem a falhas e fraturas presentes no embasamento e o padrão dendrítico é provável que ocorra onde o embasamento não se encontra fraturado. Os canais gerados foram separados em 9 ordens, o raster Basin extraiu 32 subbacias hidrográficas. Em comparação, nas cartas topográficas do IBGE as drenagens mostram-se em padrões mais retangular. Assim, conclui-se que a análise dos dados SRTM fornece mais detalhes da hidrologia, servindo melhor para, por exemplo, o planejamento de campanhas de mapeamento e prospecção.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
ALVES, J.; AUGUSTO SCHUTZ MARAN, E.; DE ABREU LEME DA COSTA, J.; VENACIO MARQUES, A.; ALINE DE AZEREDO, G.; SERGIO SARAIVA DUARTE JUNIOR, R. CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE DRENAGEM E BACIAS HIDROGRÁFICAS DE JARU-RO A PARTIR DE IMAGENS SRTM. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.