INTEGRAÇÃO DE MÉTODOS GEOFÍSICOS ELÉTRICO E ELETROMAGNÉTICO COM MAPEAMENTO GEOLÓGICO PARA PROSPECÇÃO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

  • Gabriel Marins
  • Matheus Fernandes da Cruz
  • Jean Carvalho Toledo
  • Jose Pedro Rebes Lima
Rótulo Prospecção, Água, Subterrânea, Geologia, Geofísica

Resumo

A busca por águas subterrâneas é um tema muito discutido na atualidade. Ao passar dos anos, maior se torna a necessidade da busca por novas fontes de água para o consumo humano e, portanto, torna-se maior a necessidade da busca por novas ferramentas para prospecção de recursos hídricos em subsuperfície. Neste contexto, o presente trabalho trata-se da aplicação dos métodos geofísicos FDEM-GCM (Geocondutivímetro-EM) e ERT (Tomografia de Resistividade Elétrica) no campus Caçapava do Sul da Universidade Federal do Pampa. O objetivo deste trabalho é a aplicação de métodos geofísicos e geológicos para a identificação de fraturas em subsuperfície com presença de água. A utilização dos métodos geofísicos partem de princípios de fenômenos físicos para obtenção de propriedades físicas das rochas em subsuperfície. No caso do método FDEM-GCM, um campo magnético primário é induzido em uma bobina transmissora e este se propaga em subsuperfície e interage com os materiais geológicos, sendo induzido um campo magnético secundário. Os dois campos magnéticos são registrados em uma bobina receptora na superfície. A partir da aplicação deste método é possível obter a resposta da condutividade aparente em subsuperfície até 60 metros de profundidade. No levantamento de campo do método eletromagnético foram realizados 3 perfis paralelos de direção S-N, de comprimento de 120 metros e espaçados 10 metros entre si. No levantamento de campo utilizando o método ERT, que utiliza correntes elétricas geradas artificialmente introduzidas no solo para se obter a distribuição de resistividade do meio em subsuperfície, foram realizados 2 perfis de direção S-N, de 180 metros de comprimento e espaçados 20 metros entre si. Somado ao levantamento geofísico, foi realizado o mapeamento geológico de alto detalhe para verificar a ocorrência de fraturas e contatos litológicos. Estes fatores são indicadores de presença de água subterrânea em aquíferos fraturados. Deste modo, foram integrados os dados geofísicos e geológicos para construção de um modelo digital. Os resultados de ambos os métodos geofísicos indicam uma região de fraturas com possível presença de água subterrânea. Tal região é representada na forma de uma anomalia condutiva nos resultados obtidos a partir do método FDEM-GCM, aproximadamente aos 60 m do perfil. Nos resultados obtidos a partir do método ERT, é possível identificar aos 80 m do perfil, uma mudança nos valores de resistividades. Esta região pode estar associada a fraturas identificadas em campo, que podem proporcionar a percolação de água em subsuperfície. A partir dos resultados obtidos, pode-se concluir que existe uma provável zona de fraturas que podem conter água, pois a anomalia é concordante com as fraturas encontradas em campo. Logo, o emprego de métodos geofísicos associados ao mapeamento geológico é capaz de fornecer dados importantes relacionados à prospecção de águas subterrâneas, podendo, estes, identificar regiões mais favoráveis à presença de água.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
MARINS, G.; FERNANDES DA CRUZ, M.; CARVALHO TOLEDO, J.; PEDRO REBES LIMA, J. INTEGRAÇÃO DE MÉTODOS GEOFÍSICOS ELÉTRICO E ELETROMAGNÉTICO COM MAPEAMENTO GEOLÓGICO PARA PROSPECÇÃO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.