RELATO DE CASO: Reação adversa ao tratamento de tuberculose

  • Karina de Castilhos
  • Luciana De Souza Nunes
Rótulo Tuberculose, Pulmonar, Reação, adversa, Comorbidade

Resumo

A tuberculose (TB), atinge um terço da população mundial. Ao ser infectado, o indivíduo pode desenvolver a doença quandoo sistema imune é capaz de manter os bacilos sob controle. As manifestações clínicas são: tosse seca ou produtiva com acima de 3 semanas, febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e alterações pulmonares. A terapêutica é padronizada, porém a presença de reações adversas é um dos maiores desafios para a cura. A ocorrência de falha terapêutica, é um dos motivos para abandono e recidivas. O tratamento pode ser alterado quando: há reações graves adversas, tuberculose drogarresistente e falta de adesão. (BRASIL, 2018) O presente relato utilizou prontuário e exames do paciente cedido pela médica responsável Priscila Kanheski Moreira de Itaqui RS, a qual acompanhou o caso do paciente até o seu desfecho. Tratava-se de um paciente masculino, 64 anos, diabético, doente renal crônico e hipertenso, que iniciou um quadro de tosse seca que evoluiu para produtiva há dois meses com escarro purulento e episódios de hemoptise. Além de sudorese noturna e emagrecimento importante. Realizou exames de imagem que demonstraram lesão escavada no lobo superior direito do pulmão e nódulos centrolobulares, que sugeriam TB. O resultado da baciloscopia de escarro foi de duas cruzes na primeira amostra e uma cruz na segunda. Portanto, iniciou-se o tratamento padronizado para TB, em julho de 2017. Recebeu orientações gerais sobre a importância do tratamento, a correta utilização e possíveis intercorrências. Com 11 dias de seu início, o paciente retornou com queixas de prurido difusos e lesões eritemato papulares espalhadas por todo o corpo. Conforme sugerido pelo Ministério da Saúde, cessou-se o esquema e o paciente iniciou ingestão de antialérgico. Com a melhora das lesões, iniciou-se Rifampicina. Porém, o paciente retornou com queixas de hipotensão com síncope e exantema de membros inferiores. Novamente, cessou-se sua ingestão. A reinserção iniciou-se com Isoniazida e Pirazinamida e posteriormente Etambutol e Levofloxacino. Após um ano de terapêutica, o paciente foi internado com tosse produtiva, escarro purulento e raio-x de tórax com extenso derrame pleural à esquerda, na análise do líquido pleural a baciloscopia foi negativa. O quadro tinha boa evolução quanto à TB, porém diagnosticou-se câncer renal e metástase no pulmão. O paciente foi à óbito. O tratamento da TB visa o combate do microorganismo, podendo, ocasionar efeitos colaterais indesejáveis. O objetivo desse relato é expor a importância de reconhecer o manejo de reações adversas ao tratamento padronizado, expor as dificuldades a serem enfrentadas e a importância de avaliar a evolução. Além disso, apontar a excelência do acolher e orientar corretamente o paciente, de maneira multidisciplinar, diagnosticado com TB. Esse caso evidencia importância da adequação do tratamento às limitações do paciente visando obter êxito no desfecho da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
DE CASTILHOS, K.; DE SOUZA NUNES, L. RELATO DE CASO: Reação adversa ao tratamento de tuberculose. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.