SÍNTESE DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA UTILIZANDO O EXTRATO BRUTO DA FOLHA DA PLANTA CHAPTALIA NUTANS

  • Vivian Bueno
  • Jefferson de Jesus Soares
  • Jefferson Enderle
  • Verônica Ivachuk da Silva
  • Elton Luis Gasparotto Denardin
  • Rafael Roehrs
Rótulo Nanopartículas, prata, Síntese, verde, Extrato, bruto

Resumo

As nanopartículas de prata (AgNPs) estão passando por grandes desenvolvimentos e assim trazendo um grande avanço dentro do setor tecnológico e da saúde, uma vez que, suas características são de importante aplicabilidade dentro dos mesmos. Muitos métodos utilizados atualmente demandam o uso de solventes tóxicos para a obtenção das AgNPs, o que acaba gerando produtos bastante nocivos para o meio ambiente. Em decorrência dessa problemática, novos métodos para a obtenção das mesmas vêm sendo amplamente desenvolvidos, sendo um exemplo, a Síntese verde, que se baseia na utilização de produtos de origem vegetal. Estudos em andamento no nosso grupo de pesquisa utilizando a espécie Chaptalia nutans tem observado atividade antioxidante, possivelmente devido a presença de grupos de polifenóis entre outros constituintes. Em função destas caracteristicas, este trabalho tem como objetivo, demonstrar a obtenção de AgNPs (Síntese Verde) fazendo o uso do extrato aquoso da folha da Chaptalia nutans. As AgNPs foram sintetizadas por meio da reação de 66 mL de nitrato de prata (AgNO3) (1,7x10-4 g/mL) e 24 mL de extrato aquoso da folha da Chaptalia nutans (1,1x10-2 g/mL), centrifugadas (20 min, 10.000 rpm), lavadas (5X) e secas em estufa (40◦C). A caracterização das AgNPs baseou-se nas técnicas espectroscópicas na região do ultravioleta/visível (UV/VIS) e infravermelho (FTIR). Os resultados obtidos foram positivos para a formação de AgNPs, uma vez que, a espectroscopia UV/VIS demonstrou banda na região de 400 nm, característica das bandas plasmônicas de prata. A espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier (FTIR) evidenciou o desaparecimento ou diminuição de certos grupos funcionais presentes no espectro do extrato aquoso da C. nutans, como em 3.500 cm-1 (grupo hidroxila (-OH), região próxima a 1.700 cm-1 (grupo carbonila (C=O) e 1.000 cm-1 (C-O), presentes em compostos fenólicos, flavonóides e terpenóides. Novos estudos e mais aprofundados relativos à caracterização estão sendo realizados, para se determinar o tamanho das partículas, a presença de aglomerados e qual a forma das nanopartículas, sua aplicabilidade frente a doenças neurológicas e voltadas para a área microbiológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
BUENO, V.; DE JESUS SOARES, J.; ENDERLE, J.; IVACHUK DA SILVA, V.; LUIS GASPAROTTO DENARDIN, E.; ROEHRS, R. SÍNTESE DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA UTILIZANDO O EXTRATO BRUTO DA FOLHA DA PLANTA CHAPTALIA NUTANS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.