CARACTERIZAÇÃO DAS NANOPARTÍCULAS DE PRATA OBTIDAS POR SÍNTESE VERDE ATRAVÉS DE TÉCNICAS ESPECTROSCÓPICAS E CALORIMÉTRICAS

  • Veronica Ivachuk
  • Darliane Andreis
  • Rafael Roehrs
  • Sandra Elisa Haas
  • Elton Luis Gasparotto Denardin
  • Jefferson de Jesus Soares
Rótulo nanopartículas, prata, antioxidante, síntese, verde

Resumo

Nanopartículas de prata (AgNPs) são um produto em amplo desenvolvimento no mundo tecnológico nos últimos anos e por sua aplicabilidade tem se investido muitos estudos em suas formulações. Entretanto, de forma recorrente os métodos usados em seu desenvolvimento geram produtos bastante nocivos para o meio ambiente, poluindo-o, por isso, nosso grupo desenvolve as AgNPs pela Síntese Verde, que preconiza o uso de produtos naturais em sua síntese. Estudos em nosso laboratório possibilitaram que se possa inferir que a espécie Bougainvillea glabra choisy (Bg) demonstra atividade antioxidante frente a agentes estressores, tais como, o Paraquat. O trabalho teve como objetivo, determinar de forma mais completa aspectos sobre a caracterização das AgNPs. Para isso, AgNPs foram obtidas pela mistura reacional de Bg e AgNO3, sob agitação (24h, 55oC, 150 rpm) e submetidas às análises por DSC-60 (Calorímetro de Varredura Diferencial) e Mastersizer 2000 (tamanho de partícula). No DSC-60 mediu-se a variação de energia entre a amostra e a referência (ΔH) em função da temperatura e do tempo. As características foram baseadas nos picos que se apresentaram durante uma corrida no equipamento utilizando-se gás de arraste nitrogênio, em faixa de temperatura de 20°C a 600°C. Esses eventos térmicos no DSC demonstraram ser uma transição de fases de primeira ordem, pois nas curvas existiam picos exotérmicos e endotérmicos. Eventos endotérmicos que podem ocorrer em amostras de materiais pode-se citar: fusão, perda de massa da amostra (vaporização de água, produtos voláteis de reação ou de decomposição), dessorção e reações de redução. Eventos exotérmicos podem ser: cristalização, reações de polimerização, oxidação, degradação oxidativa, adsorção, entre outros. Comparando as curvas obtidas via DSC para extrato de Bg (ExBg) e AgNPs observou-se diferenças entre picos endotérmicos e exotérmicos, sugerindo que as estruturas organizacionais das duas espécies são diferentes. Os picos presentes nas AgNPs demonstram que a reação entre AgNO3 e o extrato aquoso é favorável para formação de AgNPs. Já referente à análise no Mastersizer 2000, um equipamento que utiliza a difração à laser para dimensionar o tamanho das partículas, por meio da intensidade da luz espalhada quando o feixe de laser atravessa a amostra, foi possível obter os diâmetros das AgNPs que estavam na solução aquosa pós-síntese. Com a análise foi determinado o tamanho predominante na solução. A média encontrada dos diâmetros que predominavam na solução aquosa contendo as AgNPs foi próximo a 100 nm. É desejável que o tamanho do diâmetro esteja em valores inferiores a 200 nm para um melhor efeito da atividade das AgNPs. Novos estudos referentes aos ensaios microbiológicos já estão sendo realizados, para ampliar sua caracterização e aplicabilidade na área da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
IVACHUK, V.; ANDREIS, D.; ROEHRS, R.; ELISA HAAS, S.; LUIS GASPAROTTO DENARDIN, E.; DE JESUS SOARES, J. CARACTERIZAÇÃO DAS NANOPARTÍCULAS DE PRATA OBTIDAS POR SÍNTESE VERDE ATRAVÉS DE TÉCNICAS ESPECTROSCÓPICAS E CALORIMÉTRICAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 30 mar. 2020.